Porteiros de Escola: Revisão Urgente e Necessária

Pessoal,

Os porteiros das escolas municipais do Rio, contratados por uma empresa terceirizada, vêm enfrentando várias irregularidades trabalhistas, colocando em sério risco esta política da Secretaria Municipal de Educação (SME).

A partir do ano de 2011, foram contratados pela prefeitura aproximadamente 1.500 porteiros, logo após a tragédia da EM Tasso da Silveira, em Realengo, sob o esforço da SME em estabelecer uma estrutura de maior segurança nas escolas do Rio. Hoje, este número deve estar em cerca de 2.500.

Ainda em 2011, durante o processo de contratação da empresa VPAR, com denúncias de que estava havendo indicações políticas para o cargo, foi criada uma CPI na Câmara (da qual fui relator) e fizemos a empresa assinar um compromisso de que reiniciaria o processo de seleção do zero, e não aceitaria indicações de políticos para compor seus quadros, podendo somente aceitar dos próprios diretores e outros professores da unidade em que iria trabalhar, ou mesmo seleção por currículo.

PorteirosContracheque(Acima, porteira mostra contracheques com valor inferior a salário mínimo)

Com esta página virada, os porteiros chegaram às escolas como funcionários terceirizados em regime CLT, e vêm acumulando queixas contra a empresa.

A primeira, é que sua carteira de trabalho é registrada como ATG (serviços gerais), diferente de “Porteiro“. O piso salarial deste último é bem acima do salário mínimo com que foram contratados na época.

Para piorar, os vencimentos hoje estão bem abaixo do mínimo, cujo vencimento bruto hoje registrado é de R$ 622,00 e o vencimento líquido é de R$ 572,00. O vale alimentação/refeição é entregue sob a forma de cestas básicas, que muitas vezes não chegam aos funcionários, ou chegam com falta de itens, alimentos fora da validade, baixa qualidade, entre outros problemas. Para completar, em uma pesquisa de preços realizada por nós com uma das cestas em mãos, o valor total correspondente que deveria ser de R$ 120,00 não chega a R$ 50,00.

cestaVPAR(Acima, cesta básica recebida por porteiros)

Mas não acaba por aí. O auxílio transporte não concedido ao funcionário, sob alegação de que este fixa residência próximo ao local do trabalho, mas que – na realidade – em alguns casos, fica a aproximadamente vinte, trinta minutos a pé.

Motivados por tantas irregularidades, um grupo cada vez maior de porteiros procurou o gabinete para pedir ajuda. Temos três grandes preocupações com o caso: (1) a qualidade de vida e trabalho deste importante funcionário; (2) a qualidade do trabalho que a escola recebe, dada as precárias condições de trabalho; (3) a probabilidade de prejuízo aos cofres públicos, uma vez que um processo trabalhista poderá responsabilizar tanto a empresa, quanto a própria Prefeitura.

Porteiros-VPAR(Acima, porteiros acompanham nossa visita à VPAR em 20 de dezembro de 2013)

Depois de sucessivas tentativas de contato com a empresa VPAR conseguimos, finalmente, no dia 20 de dezembro de 2013, realizar um encontro com o representante Diego Possato, na sede da empresa na Barra da Tijuca.

Em conversa com Diego Possato, o mesmo relatou que o contrato foi firmado com a prefeitura há três anos, mediante processo de licitação pelo menor preço. Alega que, em decorrência dos reajustes anuais do salário mínimo, essa diferença não vem sendo repassada para a empresa que, por sua vez, não tem como repassar para o funcionário.

Diante disso, solicitamos ao representante Diego Possato a organização de planilhas de cálculo, com transparência total, constando a previsão de custo por funcionário, com base no valor referente ao piso salarial de Porteiros (e não ATG!), e a transformação do benefício de cestas básicas para cartão alimentação, no valor correto dos R$ 120,00 pagos pela Prefeitura.

Acordamos o prazo de uma semana para realizarmos outra reunião para apresentação das planilhas. A partir desses dados, poderíamos mediar as negociações entre a empresa VPAR e a prefeitura, fundamentando a necessidade de que se tome providências imediatas de reparação sobre o valor do contrato e repasse aos funcionários.

Reunião VPAR(Acima, reunião realizada na VPAR para pedir as informações, em 20/12/2013. Da esquerda para direita: Prof. Michéli, eu, Prof. Iolíris, Prof. Omar e Diego Possato-VPAR).

Estamos, desde então, tentando fazer contato com a empresa, na tentativa de marcarmos a entrega dos documentos e darmos prosseguimento as ações, sem sucesso. Representantes da VPAR se desdobram em explicações que tentam justificar os motivos que os levam a não cumprirem a promessa que firmaram conosco e com a categoria. Completamos um mês agora nesse “jogo de gato e rato”.

Na última sexta-feira, dia 17 de janeiro, um grupo de porteiros se reuniu em frente à prefeitura com cartazes e carro de som, com o propósito de mobilizar a atenção da população e da SME para os irregularidades trabalhistas a que são submetidos. Neste data, uma representação dos porteiros foi recebida pela SME, que também tomou conhecimento da situação atualizada e de como os problemas se agravaram. A professora Márcia Charbel, então, comprometeu-se em tomar providências, como a realização de uma reunião com representantes da VPAR, e buscaremos estar presentes para levar nossas informações sobre o caso também. Agora são duas frentes a pressionar a empresa.

Estamos em um momento decisivo, os porteiros cobram soluções, desgastados pelo esforço de tantas lutas. O tempo de conciliação e diálogo está chegando ao fim. A categoria se mobiliza para ações mais contundentes como greve, Justiça do Trabalho, Ministério Público e outros canais. Nesse sentido, devemos juntos – Legislativo e Executivo – apoiar os porteiros e exigir soluções imediatas. Temos que ter esta reunião o quanto antes e o fim de tanta conversa! O momento é da empresa apresentar de dados e propostas urgentes para resolver a questão.

Abraços,
Paulo Messina

53 thoughts on “Porteiros de Escola: Revisão Urgente e Necessária

  1. clayton quarta-feira, 22 janeiro 2014, 9:15 PM às 9:15 PM

    Este problema é seríssimo, no entanto, ao meu ver tudo isso ocorre diante de um contrato de prestação de serviços para a prefeitura do RJ, e está por sua vez não se isenta em nada da culpa. Será que realmente aconteceu uma licitação pública transparente? E se caso aconteceu, vamos pensar em pesquisar a fundo os donos e executivos da empresa VPAR. Tenho absoluta certeza que se o MP investigar a fundo, vamos encontrar muitos nomes interligados entre a PCRJ e a empresa citada neste caso.

    • Paulo Messina quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:53 PM às 10:53 PM

      Olá Clayton, de fato, essa situação é bastante séria e não podemos nos isentar de apoiar a mobilização dos porteiros e cobrar soluções imediatas! Abraços, #assessoriamessina

  2. maria do carmo quarta-feira, 22 janeiro 2014, 9:33 PM às 9:33 PM

    Agradecemos e continuamos contando com seu apoio.

    • Paulo Messina quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:56 PM às 10:56 PM

      Olá Maria do Carmo, continuaremos apoiando sim, mas é necessário exigir soluções: chega de tanta conversa. Abraços, #assessoriamessina

  3. arli pacheco quarta-feira, 22 janeiro 2014, 9:35 PM às 9:35 PM

    sem desmerecer, e garantindo todo o meu apoio a este segmento da categoria, me parece q o vereador esquece q no dia de hoje ficou de participar de uma reunião com o sec pedro paulo para tratar da regulamentação dos AEI’s.
    esperava, pelo menos, uma nota de esclarecimento da falta de informações sobre a reunião.
    acredito q expresse aqui o pensamento de boa parte da categoria dos AEI’s, q exigem a regulamentação da nossa PL e do PCCR, assim como tb exigimos folha suplementar para q recebamos ainda em fevereiro nosso merecido aumento.

    • Paulo Messina quarta-feira, 22 janeiro 2014, 9:57 PM às 9:57 PM

      Arli… Eu postei algumas vezes no grupo e na minha pagina… A reuniao de hoje e’ interna da Prefeitura, eu nao iria participar – e nem cabe. Inclusive parte do texto postado segue: “Pessoal, a reunião só começou lá no final da tarde, só devemos ter uma posição amanhã. Avisem aos outros por favor. Vamos ficar em cima amanhã para sabermos. Abraços!”

  4. Magda Xavier de Souza quarta-feira, 22 janeiro 2014, 9:58 PM às 9:58 PM

    Pior que estas irregularidades e descasos é a ajuda de custos dos profissionais do reforço escolar. Mesmo sendo voluntariados, gastam roupa ,passagens,ficam sem lanches etc…A maioria dos voluntariados de reforço escolar já não renovam mais seu contrato.As professoras precisam dessa ajuda de apoio.Conto com sua ajuda.Prospero 2014.MXS.

    • Paulo Messina quarta-feira, 22 janeiro 2014, 11:06 PM às 11:06 PM

      Olá Magda, entre em contato conosco para que possamos conversar melhor sobre a situação dos voluntários de reforço escolar.
      Tel.: 3814-2121. Abraços, #assessoriamessina

  5. José Omar Duarte Ventura quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:05 PM às 10:05 PM

    Parabéns! Esse é o Paulo Messina!

  6. Marlene Moreira quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:24 PM às 10:24 PM

    Concordo prof° Omar, e parabéns a todos vocês da equipe do Messina. Estamos divulgando para todos os colegas, principalmente aqueles que não tem acesso a internet.

  7. Caio quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:36 PM às 10:36 PM

    Parabéns, Paulo Messina!!! Essa categoria merece respeito!!!

    • Paulo Messina quarta-feira, 22 janeiro 2014, 11:20 PM às 11:20 PM

      Olá Caio, agradecemos o reconhecimento. Precisamos continuar cobrando providências, insustentável. #assessoriamessina

  8. o/o/o/ quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:37 PM às 10:37 PM

    Parabéns, Paulo Messina!!! Essa categoria merece todo o nosso respeito!!!
    Avante Guerreiros!!!

    • Paulo Messina quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:44 PM às 10:44 PM

      Com certeza, essa categoria merece todo nosso respeito!#assessoriamessina

  9. andrea quarta-feira, 22 janeiro 2014, 10:47 PM às 10:47 PM

    quero agradecer por tudo que vem fazendo por nós porteiros fé que vamos conseguir essa luta juntos um abraço

  10. Luana Azevedo quarta-feira, 22 janeiro 2014, 11:51 PM às 11:51 PM

    E com relação aos contratados ( agente auxiliar de creche ). Haverá mais efetivações?

    • Paulo Messina terça-feira, 11 fevereiro 2014, 12:14 PM às 12:14 PM

      Olá Luana, não há certeza sobre novas nomeações, devemos aguardar.
      Existe um processo na justiça, aberto por um grupo de Agentes de Educação Infantil contratados em 2012, cuja sentença do juiz foi emitida recentemente. O grupo está em busca de seus direitos, de embargos que esclareçam melhor as determinações do juiz. Há um grupo no facebook, “Agentes Auxiliares de Creche Contratadas em 2012″ que pode te auxiliar em relações às notícias, também. #assessoriamessina

  11. Karla Caminha quinta-feira, 23 janeiro 2014, 12:02 AM às 12:02 AM

    Sou porteira, no entanto não estava ciente de nada disso, além de todos os itens citados acima, temos férias vencidas também ,fora que a direção das escolas acham q somos escravos. A da minha escola por exemplo acha q nesse período de recesso tenho q fazer faxina na escola, fazer serviços de secretaria, até comida já fiz na escola,fazer serviço de forrar mural da escola toda.
    Agradeço desde já a luta por nós

    • Paulo Messina terça-feira, 11 fevereiro 2014, 11:43 AM às 11:43 AM

      Olá karla,
      Estamos acompanhando essas situações de perto… lutando pela defesa dos direitos dos funcionários porteiros que tanto contribuem com a segurança de nossas escolas. Abraços, #assessoriamessina

  12. catia cristina sexta-feira, 24 janeiro 2014, 9:47 PM às 9:47 PM

    Paulo Messina ,eu acredito que prefeito, secretária de educação entre outros já estejam cientes dos fatos. como pode um órgão publico contratar um serviço terceirizado e não pedir satisfações? No que diz respeito a classificação de(ATG) é justamente pra a empresa fugir da sua responsabilidade de pagar os porteiros. Outro detalhe é que esse fato já chegou ao conhecimento do ministério publico do trabalho e é latente a sua omissão como responsável pela contratação da empresa citada para a prestação de serviço ao município. Quero também relatar que o prefeito nas próximas eleições estará tentando se candidatar , juntamente com seus assessores aqui no Rio de Janeiro e nós porteiros estaremos lembrando dele com muito apreço!!!!

    • Paulo Messina quarta-feira, 5 fevereiro 2014, 4:43 PM às 4:43 PM

      Sim, Cátia. Estamos cientes de todas essas situações. Por isso, estamos firmes no propósito de encaminhar ações que reparem os direitos trabalhistas dos porteiros. Haverá reunião entre VPAR, prefeitura e vereador Paulo Messina ainda no mês de fevereiro. Vamos prosseguir! Abraços, #assessoriamessina

  13. Ilda Maria Diogo Pessanha Soares sábado, 25 janeiro 2014, 7:40 AM às 7:40 AM

    Parabéns. pelo seu empenho e da sua equipe. No momento a empresa mudou de endereço,e o novo local é desconhecido. A questão salarial é aviltante. Temos que nos unir para cobrarmos providências.Estes profissionais são de extrema importância para as escolas.

    • Paulo Messina quarta-feira, 5 fevereiro 2014, 4:46 PM às 4:46 PM

      Olá Ilda, concordamos que os porteiros são muito importantes para o funcionamento seguro de uma unidade escolar, creche ou EDI. Continuamos firmes nessa luta. Agradecemos o reconhecimento. Abraços, #assessoriamessina

  14. thaisa santana senra segunda-feira, 27 janeiro 2014, 6:04 PM às 6:04 PM

    Messina ,como esta nossa situaçao,ja ouvi dizer q a vpar mudou de endereço,oq sera de nos porteiros,aguardo anciosamente respostas….

    • Paulo Messina sexta-feira, 7 fevereiro 2014, 5:10 PM às 5:10 PM

      Olá Thaísa,
      Conseguimos realizar a reunião com o diretor da VPAR, no dia 31/janeiro, após inúmeras tentativas ao longo do mês.
      Faremos outra reunião, ainda em fevereiro, com o CODESP e a VPAR.
      Eles divulgaram o novo endereço, na rua Treze de Maio, 33 – Centro da Cidade.
      Continuamos lutando por isso, Thaísa, abraços, #assessoriamessina

  15. Maria do Carmo Lima Silva terça-feira, 28 janeiro 2014, 7:55 PM às 7:55 PM

    Deus toque no coração de todos que estão a frete deste trabalho para que tudo corra a favor das escolas. Pois é importante e me sinto segura em deixar o meu filho na escola sabendo que tem este grande apoio. Cuja a violência esta demais, e os porteiros fazem uma função super segura pra cada criança. Merecem ser bem renumerado, ser apoiado com tudo que tem direito. O meu filho tem um comportamento difícil, e presença dos agente de apoio a escola são de muita importância. Por favor eu Maria do Carmo gostaria de que não tirassem esta regalia das escolas. Atenciosamente Maria do Carmo. Abraço pra todos.

    • Paulo Messina sexta-feira, 31 janeiro 2014, 11:42 AM às 11:42 AM

      Olá Maria do Carmo, concordamos que é fundamental haver uma estrutura que ofereça segurança às nossas crianças no ambiente escolar, o que confirma o nosso propósito em lutar pela garantia de melhores condições de trabalho para os porteiros e demais profissionais. Abraços, #assessoriamessina

  16. Francisco Barcelos quarta-feira, 29 janeiro 2014, 3:35 PM às 3:35 PM

    Caro Paulo Messinas, fico felis que alguem tenha tomado , conhessimento das nossas dificuldades. Trabalhei na empresa durante um ano e cinco meses, e hoJe apos quatro meses de dispensado, ainda não fiseram a minha homologação.Devo ressaltar que a duas semanas me chamaram no sindicato com a omologação pronta, só que com valores do salario de 2011, o que é um absurdo, resultado não assinei nada,.Falei com a funcionária Elaine que refsesse tudo com os valores atuais de porteiro, e ela me disse que isso a empresa não faria. Vou acionar a justiça, mas gostaria de contar com a sua preciosa ajuda. Um abraço e muito obrigado pela força.

    • Paulo Messina sexta-feira, 31 janeiro 2014, 11:12 AM às 11:12 AM

      Olá sr. Francisco, por pavor, entre contato conosco para que possamos reunir mais dados sobre a sua situação. Tels: 3814-2094/3814-2981/3814-2497. Procurar por profª. Micheli, profª. Ioliris ou prof. Omar. Aguardamos o seu contato, #assessoriamessina

  17. Regina Célia quarta-feira, 29 janeiro 2014, 7:01 PM às 7:01 PM

    Eu trabalho como porteira,fiz prova para auxiliar de creche mais ainda não fui camada porque?essa situação dos porteiros é um desrespeito.trabalhamos e só temos deveres esquecerão de nossos direitos. e não temos minguem para lutar por nós sera que você vai ser esse anjo que fará isso ? um forte abraço.

    • Paulo Messina sexta-feira, 31 janeiro 2014, 11:08 AM às 11:08 AM

      Olá Regina Célia, estamos envolvidos com as questões trazidas pelos porteiros, contratados pela VPAR, mediando as relações entre a empresa e a prefeitura. Há reunião marcada com o representante da empresa, para que sejam apresentados os documentos solicitados pelo vereador. Esperamos que essa reunião seja confirmada e, aconteça de fato. Outras tentativas de nos reunirmos com a VPAR foram canceladas pela empresa. A partir disso, levaremos propostas para a Secretaria de Educação que equiparem o vencimento ao piso oficial previsto para o porteiro e concedam cartão alimentação, em substituição às cestas básicas. Abraços, #assessoriamessina

  18. Lidiane sexta-feira, 7 fevereiro 2014, 1:11 AM às 1:11 AM

    Sinto muita dó da ATG da escola onde trabalho como agente educadora, a escola é em tempo integral e só tem uma ATG que muitas vezes avança em seu horário para dar conta da saída de alunos. Sem falar que ela é tratada como serviçal, faz e serve café, até carregar água eu já a vi fazendo, A diretora sempre deixou claro que lá ela tem que fazer de tudo. Já a vi prendendo coisas com a furadeira, pintando paredes, limpando, carregando garrafão de água para as salas e etc. É triste ver que se aproveitam dela pelo fato de na carteira de trabalho ela está como auxiliar de serviços gerais e ela com medo de perder o emprego nunca abre a boca e nunca diz não para as exigências feitas a ela. Meu cargo tem muitos problemas como já sitei em outras postagens, mas me sensibilizo com os ATG e considero a VPAR super omissa pois nunca foi um supervisor já que a escola fica super isolada numa área de risco, nem sei como fica o ponto dela pois não buscam. Espero que consigam urgentemente melhorias para esta categoria pois os ATG’s são essenciais nas escolas já que nós os AE’s temos que cobrir todos os horários de centro de estudo e almoços.

  19. kathya sábado, 8 fevereiro 2014, 11:54 PM às 11:54 PM

    Olá, estou na mesma situação de todos os porteiros da Vpar…E estou solidaria a todos.trabalho em escola da 2ª cre .Salários pagos com valor de 2011,férias !!! nem pensar,em e-mail mandado ao Sr.Diego em dezembro,foi-me escrito, em resposta, que a partir de Janeiro estamos providenciando. Só enrolação…. De promessas estamos cheios…cestas básicas não chegam. recebi em dezembro 2013 dia 19,duas cestas referentes a setembro e outubro..E a empresa que entregou, o funcionário informou que a Vpar estava mudando de endereço…Só semana passada,sem querer, fiquei sabendo o endereço…Em pesquisa feita na internet,esta empresa teve problema com funcionarios que prestavam serviços a CEDAE,,os mesmos que estão ocorrendo conosco…E no ano seguinte a Prefeitura faz uma licitação e esta empresa ganha ? como ??Não uso desde dezembro a camisa da empresa…Acho que até resolverem este problema a Copa do Mundo já chegou, e aí o país para !!! e para literalmente !!!.E estes documentos que o Sr solicitou a empresa,será que eles providenciaram ?? Ou será igual ao passaporte do Pizzolato ?…Acho que pra tudo temos que ter paciência e tolerancia na vida,porem com esta empresa já ultrapassou o limite de respeito,tolerancia e seriedade…Somos tratados com arrogância em todas as reuniões e tb por telefone..O melhor a fazer,se não acontecer a tão esperada reunião, é uma denuncia ao M.Público. E a Prefeitura é co responsável e terá que regularizar nossa situação..Agradeço desde já sua ajuda.Que o Sr. tenha sucesso nas negociações.. Abçs.

  20. Bruna barbosa segunda-feira, 10 fevereiro 2014, 4:17 PM às 4:17 PM

    e a nossa situaçao estar fikando cada ves mais pior sem cesta que jae uma merda sem contra cheque sem salario direito direito cada mes um um pagamento diferente vamos que vamos pra cima deles no dia 11-02-2014 estaremos la reclamando do nosso direito comtamos com voce paulo messina

  21. rute segunda-feira, 10 fevereiro 2014, 5:23 PM às 5:23 PM

    olá deputado trabalho como porteira em um edi, so que um ano atraz eu trabalhava como porteira 25 mim de distancia da minha casa sem direito a passagem,mais a vpar me transferiu para uma crecher a uma hora de distancia da minha casa e eu continuo sem direito a passagem vou e retorno a pé debaixo de sol escaldande.que podemos fazer pra mudar essa situação desumana?

  22. suzeleia Soares Luz Pacheco terça-feira, 11 fevereiro 2014, 10:32 PM às 10:32 PM

    Paulo Messina. Boa Noite.

    Quando o AEI que se formou na formação de professores(normal), e que,consequentemente, fará parte do magistério; a nomenclatura será mudada para quê?

    Desde já agradeço pela força. Aguardo.

    Suzeleia Soares luz Pacheco

  23. Cristiane quarta-feira, 12 fevereiro 2014, 10:41 AM às 10:41 AM

    Caso tenha novidade sobre a vpar me avise por favor. Obrigada

  24. valeria quarta-feira, 12 fevereiro 2014, 7:05 PM às 7:05 PM

    boa noite vereador,você já tem alguma resposta para os porteiros,que seja boa,pois nossa situação esta ficando insustentável estamos sem ferias,sem aumento de salario,isto é um desrespeito para com nós que temos uma suma importância para a segurança das nós crianças e somos tratados dessa forma sem respeito algum,sejá um anjo em nossas vidas dependemos muito de você,boa noite e um forte abraço.

  25. Naluza Ramos da Silva do Amaral quarta-feira, 12 fevereiro 2014, 11:29 PM às 11:29 PM

    Bom Dia, Srº vereador Paulo Messina, ontem foi publicado um decreto no diário oficial sobre gratificação de qualificação para funcionários de ‘APOIO” que estão lotados na SME. estão ali representados algumas categorias menos o de MERENDEIRA, o porquê?, se também somos pessoal de apoio, segundo o Srº que estava presente nas negociações do PCCR, estariam incluídos todos do Apoio, gostaríamos de pedir mais atenção, para o nosso caso. pois também muitas de nós merendeiras temos nível superior e até muitas pós graduadas, mais muitas das vezes percebo que estão muito mais preocupados com os professores e auxiliares de creche, e não falam-se mais em merendeiras, somos peça importante nas escolas, se caso não tiver MERENDEIRAS, não se tem aula,pois ninguém ficará com fome. Nós do apoio, fomos 100% nas paralisações e nos foi feita muitas promessas, mais nenhuma delas sairam do papel, apenas dos auxiliares de creche , professores e agora porteiros, que nada tem haver conosco, pois eles não fazem parte do quadro funcional da prefeitura , sei que todos merecem atenção, mais nós também queremos explicações sobre este novo decreto que foi publicado ontem e que somente abrangeu algumas categorias do chamado cargo de “APOIO”, e nós merendeiras em que categoria nos enquadramos?
    Atenciosamente,

  26. creusa dias da costa quinta-feira, 13 fevereiro 2014, 6:14 AM às 6:14 AM

    obrigada pelo apoio,estou nessa firma a 3anos e nao vale nada so decepçao.conto com vc.

  27. creusa dias da costa quinta-feira, 13 fevereiro 2014, 8:59 AM às 8:59 AM

    quando entrei no contrato era;cartao alimentaçao;salario;vale tranporte eate agora nada.esse mes meu arroz veio cheio de bicho.

  28. Juliana Queiroz quinta-feira, 13 fevereiro 2014, 9:52 AM às 9:52 AM

    Sou agente educadora e estou indignada com nosso salário e carga horária. Fizemos um curso de capacitação com a guarda municipal e não recebemos qualquer aumento de salário. Não entendo pq os secretários escolares recebem bonificação pelo curso e nós não. Nosso concurso é de nível fundamental, assim como agentes de creche e eles ganham 1.700 e nós 900. Fora os problemas que enfrentamos diariamente nas escolas. São muitos absurdos! Quero que as coisas mudem este ano! Me coloco à disposição para o que for necessário para ajudá-lo a mudar esta situação. Quero fazeralgo, mas não sei de forma ajudar…então me coloco à disposição.

  29. creusa dias da costa quinta-feira, 13 fevereiro 2014, 10:29 AM às 10:29 AM

    sr.paulo estou de ferias vencida desde agosto;fui na barra e eles mudaram de endereço.nao nos comunicaram o supervisor me ajuda grata estou precisando do meu crontra cheque eeeeenada

  30. creusa dias quinta-feira, 13 fevereiro 2014, 1:14 PM às 1:14 PM

    godtaria que vcs me comunicase aproxima reuniao com a vpar;estou muito chateada com toda essa cituaçao;eu nao passo fomepq meus filhos me ajudam.vivo de aluguel e a cesta nao posso contar.abraçossssss

  31. Neusa Farias quinta-feira, 13 fevereiro 2014, 3:40 PM às 3:40 PM

    Olá Paulo, Me chamo Neusa e trabalho como porteira (ATG) e gostaria de saber se seríamos dispensados caso a Vpar tivesse seu contrato cancelado, e se caso isso já aconteceu oque será feito de nós? E se a empresa terá que pagar nossos reajustes?
    Muito obrigada pela atenção dada a nossa situação.

  32. flavio barroso de oliveira sexta-feira, 14 fevereiro 2014, 5:04 AM às 5:04 AM

    Não aguentamos mais,agora eles se esconderão,ate para pedir demição estão mandando entra na justiça. se quiser receber,estão esperando outrs tragedia,a pac.iencia acabou

  33. creusa dias da costa sexta-feira, 14 fevereiro 2014, 10:11 AM às 10:11 AM

    creusa dias,gostaria de saber como esta a nossa situaçao com a vpar;conto com vc p/ nos ajudar grata…..

  34. taiana sexta-feira, 14 fevereiro 2014, 8:57 PM às 8:57 PM

    agradecemos por ta nos ajudando nesesitamos de mudancas .ass. taiana

  35. Claudia pinheiro guimaraes segunda-feira, 17 fevereiro 2014, 10:20 AM às 10:20 AM

    ola bom dia meu nome e Claudia Pinheiro Guimaraes .vou fazer 3 anos nesssa empresa e a 3 anos estou ouvindo que vai ter almento e nunca tem nada ass o contrado que a vpar dava passa ms tiquet de alimentação e nada temos .acho isso um cumulo do absurdo e tem ms se agente pedi as contas nao temos nada pra receber pq eles nao mandao agente abora pocha temos filhos sera que o Diego nao pensa nei um pouco nisso agente trabalha com um maior cuidado e temos um amor enorme poressass crianças e samos retribuidos dessa forma .so quero meus direitos

  36. Marlene Moreira terça-feira, 18 fevereiro 2014, 12:35 AM às 12:35 AM

    Não entendo como trabalhadores com carteira assinada, e prestando serviço para um órgão público, possam em 2014 receber o salário minimo vigente em 2012. Isso não seria inconstitucional? Se fosse no bar da esquina, era só alguém denunciar que estaria tudo resolvido certo?
    salário mínimo de 2012. Isso não seria inconstitucional

  37. creusa dias da costa quarta-feira, 19 fevereiro 2014, 7:51 AM às 7:51 AM

    o que siguinifica moderaçao

  38. tamy quarta-feira, 19 fevereiro 2014, 3:41 PM às 3:41 PM

    Fico feliz por ter alguem por nós porteiros ,obrigado Paulo Messina !É desumano nossa situação ,espero boas notícias !!!

  39. Thaís Rodrigues quarta-feira, 19 fevereiro 2014, 5:57 PM às 5:57 PM

    Olá Paulo Messina. Sou Agente Educadora e estou nessa luta pela melhoria do nosso cargo como a diminuição para 30 horas. Pra gente já está difícil imagine para nossos amigos porteiros, que são terceirizados, que muito nos ajudam, pelo menos na escola em que trabalho. Fazem muito além do que deveriam fazer com esse salário que recebem. É um absurdo pois até alimentos estragados eles recebem, isso quando recebem. Minha amiga porteira recebe esse salário miserável e paga mais da metade dele de aluguel e tem que fazer faxina nos finais de semana, que deveria descansar, para conseguir algo a mais para criar sua filha com dignidade. Isso não pode continuar assim.

Os comentários estão desativados.

Seguir

Obtenha todo post novo entregue na sua caixa de entrada.

Junte-se a 1.908 outros seguidores

%d blogueiros gostam disto: