Método iLs (Sistemas de Audição Integrados) e como pode Ajudar no tratamento do Autismo e outras síndromes em nossas Crianças

Pessoal,

Nos últimos dias, tive a possibilidade de estudar nesta visita a Greenwich Village e Denver – Colorado um método novo de tratamento de autismo (e não só autismo). Abaixo, traduzo e resumo o que aprendi e como isso pode de fato ajudar crianças com deficiência de aprendizado ou qualquer transtorno de desenvolvimento.

1) Introdução

Antes de entrar na explicação de como funciona o tratamento com o iLs, é importante conhecer alguns fundamentos sobre os quais a tecnologia foi desenvolvida no ano passado.

Um médico francês especialista em otorrinolaringologia, chamado Dr. Alfred Tomatis (1919-2001), foi o pioneiro a desenvolver técnicas auditivas que são usadas em todo mundo hoje para ajudar aqueles com dificuldades de desenvolvimento.

Muitas das técnicas foram primeiramente criadas para ajudar pacientes que eram músicos e cantores com problemas vocais. Com o tempo, ao usar essas técnicas nos filhos dos seus pacientes músicos, Dr. Tomatis observou também avanços nas suas performances escolares, incluindo memória, foco e atenção, assim como postura, coordenação motora e equilíbrio, tornando-se assim o primeiro pesquisador a descobrir (por acidente!) a importância dos sons de alta frequência para promover atenção, alerta e criatividade.

AS LEIS TOMATIS

Primeira Lei: Ao examinar pacientes que sofriam de surdez decorrente de atividades profissionais por longa exposição a máquinas barulhentas ou outros motivos similares, ele observou que o efeito traumático nos ouvidos eram sempre acompanhados de alguma deficiência vocal. Teorizou que a audição defeituosa pudesse ser exatamente a causa da mudança na voz. Através de cuidadosa análise de audiogramas e de espectro sonoro (ondas da voz daqueles pacientes), ele conseguiu provar que aquelas frequências que não eram mais emitidas pelas cordas vocais (por isso a alteração na voz) eram exatamente as mesmas frequências que o ouvido defeituoso do paciente já não conseguia mais captar. Isso levou à primeira lei, que é simplesmente traduzida assim:

1ª Lei Tomatis: A voz só contém o que o ouvido pode ouvir.

Segunda Lei: Usando um ouvido eletrônico, Dr. Tomatis trabalhou para restaurar as frequências que estavam deficientes ou ausentes. Ao conseguir fazê-lo, o paciente conseguiu emití-las novamente. A segunda lei então é expressada assim:

2ª Lei Tomatis: Se for trazida à audição danificada a recuperação das frequências perdidas ou comprometidas, estas serão instantaneamente e inconscientemente restauradas na emissão vocal.

Terceira Lei: Esta lei enfatiza o efeito de longo prazo na voz quando as frequências auditivas são restauradas ao normal. A terceira lei é assim expressa:

3ª Lei Tomatis: Estímulo auditivo suficiente irá provocar uma melhora duradoura na habilidade de ouvir e consequentemente reproduzir o som.

Com essa base, e 45 anos de estudo e uma vida dedicada a isso, as principais idéias que servem para aplicação de sua teoria são:

a) O ouvido é o tradutor que converte as propriedades físicas do som e vibração em propriedades elétricas, sendo portanto uma “bateria” para o cérebro que recarrega o córtex com energia, particularmente em altas frequências;

b) Altas frequências têm propriedades revigorantes e energizantes no sistema nervoso;

c) Ouvir e escutar são ações distintas. A primeira é automática, passiva. Escutar requer motivação, desejo, intenção.

E chegamos à principal conclusão do estudo, a divisão das três zonas de audição e suas ações no sistema nervoso, de acordo com a frequência sonora:

TABELA I

ZONA

Frequência Sonora

Estímulo ao Indivíduo

Zona 1

0 a 750 Hz

Estimula habilidades motoras, tonus muscular e noção do próprio corpo (Integração Sensorial)

Zona 2

500/750 a 4.000 Hz

Estimula fala e Linguagem (ouvir e entender e se expressar e ser compreendido)

Zona 3

Acima de 4.000 Hz

Energia, intuição, idéias, ideais, espiritualidade, criatividade e coesão auditiva.

Então, assim como empresas do mundo todo usaram o estudo de Santos Dumont para criar gigantes aviões comerciais, a iLs usou esta base de estudo para criar seu método, que descrevo a seguir.

2) A Música iLs

A música de Mozart está entre as mais benéficas para uma mente alerta e corpo relaxado, por conta do conteúdo de notas de alta frequência. Canto gregoriano, tipicamente cantado por homens, é repleto de notas de baixa frequência, e tem seu efeito como na tabela acima.

(acima, espectro sonoro – frequências, do concerto de violino nº 4, de Mozart)

São exemplos de músicas que, depois de passarem por um processo de filtragem (falarei sobe isso em breve), serão integradas, assim como diversas outras, ao processo iLs.

Além disso, um complicado processo que eles chamam de “Gating” foi desenvolvido para exercitar o cérebro. Isso consiste em ampliar baixas frequências em um canal enquanto cortam altas frequências e fazer o oposto em outro canal, na mesma música. Esse processo passa de um canal para outro dentre os disponíveis na música, à medida que é tocada. (NOTA: Existe o termo “Gating” em engenharia de sonora, mas nada tem a ver. Estou falando de um tratamento especial à música, alterando e pulando estas alterações entre os canais à medida que a música é escutada).

O método de filtragem consiste em retirar algumas frequências da música. Os filtros mais comuns no tratamento são os de “Passagem alta”, que consistem em permitir a passagem de frequências acima do limite estabelecido. Por exemplo, aplicar um filtro de 1.000 Hz numa música vai criar uma versão em que só sons acima desta frequência serão ouvidos. Existem outros filtros, como o de passagem baixa, que é justamento o contrário e o misto, em que se limita a música num trecho de frequências filtradas.

A alteração das músicas através do Gating e da aplicação de Filtros, tendo em vista a Tabela I, é o ponto mais importante da criação tratamento.

3) O tratamento em si e Os Protocolos iLs

Geralmente, nenhuma criança ou adulto apresenta um problema clínico isolado. Crianças, especialmente, apresentam uma mistura de sintomas em vez de uma claro e isolado quadro. Por exemplo, uma criança que não fala, muito além da idade de desenvolver a linguagem, poderá ter associados problemas de coordenação motora. Por este motivo, não pode haver protocolos que atinjam um só sistema.

O tratamento é dividido em Protocolos, que são aplicados aos pacientes em várias sessões, que variam em muitos casos. O procolo V, por exemplo, tem 60 sessões. Os seguintes protocolos são baseados em quase 20 anos de estudo em milhares de crianças, com diversos quadros:

a) Motor e sensorial;

b) Linguagem;

c) Concentração;

d) Performance Ótima (este somente para adolescentes e adultos);

e) Spectrum (É aqui que se pode tratar autismo).

a) Protocolo I: Motor e sensorial: Com ênfase em baixas frequências para estimuilar o sistema motor do corpo. Usado para crianças que apresentem alguns dos sintomas: equilíbrio fraco e problemas de coordenação, insegurança gravitacional, tonus muscular baixo (hipotonia), falta de noção de espaço, entre outros similares.

b) Protocolo II: Leitura, processamento auditivo, linguagem: Ênfase na zona de frequência média, que estimulam linguagem e fala e melhoram a interpretação de sons diferentes. Antes que se possa ler, a criança tem que saber quebrar o código: símbolo (letra) para som (fonética), e processar estes sons em ordem correta (sequenciamento auditivo). Além disso, tem que ser feito de forma calma e fluente, tendo em vista a velocidade de processamento.

c) Protocolo III: Concentração, atencão e foco: Há similaridades com o protocolo anterior, uma vez que usam as mesmas faixas de frequência. A aplicação das sessões é que muda. O uso de fone de ouvidos é essencial para o foco e atenção.

d) Protocolo IV: Perfomance Ótima: Enfatiza frequências altas e suas atuações positivas em centros de congnição e consciência própria. É voltado essencialmente a jovens e adultos para tratar e liberar sua criatividade.

e) Protocolo V: Especialmente criado pela combinação de alguns protocolos anteriores e desenvolvimento de outras técnicas. Atinge crianças com problemas de integração sensorial, planejamento motor, aquisição de linguagem e hipersensibilidade ao som – dificuldades comuns no espectro autístico e atrasos de desenvolvimento. Anos de aplicação clínica e pesquisa mostraram que trainamento auditivo para ambas alta e média frequências podem ser altamente positivas no tratamento de crianças no espectro. Este é o procotolo que contém mais sessões (60 no total), porque observaram que é necessário um programa maior para afetar essa população. Para melhores resultados, o tratamento pode ser repetido quantas vezes for desejado, observando: Pausa de duas semanas na sessão 30, depois da sessão 50 e antes de começar a repetir o protocolo.

O kit acompanha o aparelho acoplado a um iPod, já gravado com todasas músicas tratadas de acordo com o protocolo desejado acima. Qualquer um com treinamento – os pais em casa, as professoras numa escola, uma terapeuta em casa – pode aplicar as sessões. Repito, após o treinamento.

(Acima, fotografei um kit que tinha acabado de comprar).

4) Notas Importantes

a) O kit – com o aparelho, as músicas tratadas, manuais entre outras coisas menos importantes no pacote – custa cerca de US$ 1.500,00, sem impostos de importação (chamamos de preço FOB). Importado e com todas as taxas e impostos pagos, pode chegar a R$ 6.000,00 aproximadamente;

b) O kit também traz atividades que devem ser feitas no início de cada sessão, durante 15 ou 20 minutos;

c) Para o tempo pós sessão, é recomendada interação e atividades silenciosas, como jogar cartas, lego, bonecas, pintar/desenhar, blocos etc. Alguns gostam de alongamento, yoga. Atividades motoras são as melhores para as crianças;

d) De forma alguma mascar chiclete, falar alto, ver qualquer tipo de tela pequena (TV, Computador, video game, celular), ler ou fazer exercícios escolares. Essas atividades minam significativamente os benefícios da sessão;

e) Para maximizar a eficácia do tratamento, especialmente para crianças, deve-se restringir ou minimizar TV / Video games pela duração do programa. Crianças vão se beneficiar mais se puderem experimentar um equilíbrio entre atividades físicas e mentais;

(acima, foto do Starcenter, onde tratam pacientes com método iLs e complementam com diversas atividades físicas, motoras e estímulos diversos).

f) O programa ajuda e tem impacto positivo comprovado nos quadros que citei anteriormente. Mas não terá impacto nos seguintes quadros: Tinnitus, Alzheimer, Demência, Síndrome de Tourette, transtorno bipolar, perda do nervo auditivo;

g) Enquanto a vasta maioria dos pacientes tem benefícios comprovados clinicamente, a iLs não pode garantir cura de qualquer tipo.

5) Conclusão

Comprei o equipamento e estou estudando seu funcionamento. É extremamente simples de operar e o treinamento em si não é proibitivo. É possível enviar um pequeno grupo de técnicos para treinamento e na volta, devidamente capacitados, podem treinar outros na rede escolar municipal, por exemplo.

Farei uma indicação legislativa para que usemos este tratamento nas escolas – especialmente em crianças incluidas em turmas regulares – e no centro de tratamento de autismo recentemente inaugarado pela cidade do Rio de Janeiro. O Instituto Helena Antipoff (IHA) neste caso deveria coordenar os treinamentos e a implantação da tecnologia.

Encaminharei em plenário ainda em março deste ano estas conclusões.

Abraços,
Paulo Messina

6 pensamentos sobre “Método iLs (Sistemas de Audição Integrados) e como pode Ajudar no tratamento do Autismo e outras síndromes em nossas Crianças

  1. Amosam sábado, 13 fevereiro 2010, 11:53 PM às 11:53 PM

    Paulo, vc tb deveria trabalhar para que a SME coloque musicoterapeutas nas escolas, principalmente as especiais, p/ q a inclusão tenha melhor resultado. Tenho um amigo que é musicoterapeuta, professor de música da rede e faz um bom trabalho. Ele decidiu fazer musicoterapia para ajudar o filho mais velho que é autista e só consegue sair de "seu mundo" através da música. Bjs! Muita Paz!

  2. Zelma Amaral da Rosa segunda-feira, 4 abril 2011, 12:11 PM às 12:11 PM

    Caro Vereador Paulo Messina, muito me alegra e também me causa certa surpresa estas informações no seu Blog. Terminei minha especialização e estágio no Método Tomatis em março de 2010 no “Centre de L’Ecoute et de la Voix – Centre Tomatis Paris”, e até o ano passado só haviam duas pessoas formadas e credenciadas no neste método no Brasil: A Dra. Carmem, que administra um Centro Tomatis em São Paulo (ainda o único Centro no Brasil), e eu.

    Vez em quando entro no google para ver se há alguma atualização nas páginas brasileiras sobre o método (há bem pouco em relação a outros países da america latina) e hoje me surpreendi com seu blog. Parabéns pela iniciativa! Está muito bom.

    No momento estudo uma forma de viabilizar a abertura de um Centro no Rio de Janeiro, pricipalmente porque o valor dos equipamentos são muito altos para realidade Brasileira. Sei que em algum momento consiguirei. É um sonho muito desejado por mim.

    Sou Cantora Lírica formada nos cusros de Música e Antropologia na UFRJ, e em Espanhol pelo instituto Cervantes; e desde 1999 faço parte do quadro do Coro do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, onde ingressei por concurso público.

    Gostaria muito de poder marcar uma conversa para trocarmos informações sobre seu projeto. Provovelmente estarei em Paris de junho a agosto deste ano, e talvez possa ajudar trazendo novas informações para você.

    Desde já, muito agradecida pela atenção.
    Zelma.
    04-04-2010

  3. Kiê terça-feira, 2 agosto 2011, 9:41 PM às 9:41 PM

    Paulo, sou Kiê, moro em Manaus, mãe de um autista e promovo eventos para ajudar a população de Manaus a conviver com o Autismo. Faço parte de um grupo e tem ajuda da Prefeitura para ajudar na qualidade de vida de nossos autistas. Gostaria de comprar um aparelho desse, vc pode me informar onde? Estou indo para Miami essa semana e gostaria de aproveitar para comprar este aparelho que poderá ajudar muitas crianças.

    • Paulo Messina sábado, 24 setembro 2011, 12:07 PM às 12:07 PM

      Kiê, só consegui comprar em Denver mesmo, não sei se em Miami vende 😦 Abraços

  4. Renata quinta-feira, 25 agosto 2011, 5:31 PM às 5:31 PM

    Prezado Messina, achei muito interessante e bem fundamentado o seu relato. Cheguei a seu blog justamente porque estava buscando referências e outras publicações na Internet falando sobre ILS – já me informei no site da empresa nos EUA. Pela data, já se passou mais de um ano. Gostaria de saber se ainda estás usando o método e qual tem sido o retorno. Fico no aguardo. Renata Bonotto

  5. Renata domingo, 25 setembro 2011, 11:33 AM às 11:33 AM

    Olá Kiê, desculpe dar pitaco na mensagem que não foi endereçada a mim. Acho que é importante verificar que há diversos “Sistemas de Audição Integrados” e de diferentes empresas. Além dessa empresa indicada pelo Messina, tive conhecimento do Samonas (ver http://www.samonas.com/). Há tb protocolos diferentes e já ouvi de pais que tiveram desfechos insatisfatórios – conforme o protocolo. Então, creio que seja importante se aprofundar na oferta disponível para avaliar os protocolos, desfechos relatados, valores, etc. Outra coisa importante é que não se trata de um produto que serve para qualquer criança sem adaptações. No iLS, por exemplo, os pais respondem um questionário amplo sobre a criança e as gravações (no ipod) são disponibilizadas conforme o perfil delineado. Uma amiga esteve em contato c/ iLS e os valores chegavam a uns R$3.600. Não é barato! Boa sorte na busca e se tiveres maiores informações, compartilha com a gente =D. Abraço, Renata.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: