Faltava uma Alma

Pessoal,

Desde o início de meu trabalho na vida pública, no ano passado, quis concetrar esforços na área de educação. Contratei os melhores técnicos que pude encontrar, e venho focando boa parte do nosso tempo no tema. Tem sido uma jornada gratificante acompanhar os dados macros da área e com prazer perceber o avanço das crianças depois de tanto tempo de abandono na educação do município.

Contudo, faltava alguma coisa. O corpo deste trabalho na educação estava ótimo, mas muito tecnocrata, quase que como sem alma. É preciso equilibrar os dois lados; e encontramos hoje.

Vi com grande alegria um trabalho realizado pela jornalista Letícia Vieira e pelo fotógrafo Fabiano Rocha, ambos do Extra. Passaram o ano de 2009 acompanhando 9 alunos e 8 professores da rede municipal, com diários que registravam no período os detalhes do cotidiano nas escolas.

O conteúdo foi resumido em três cadernos especiais, publicados em:

03/05/2010: Caderno 1

10/05/2010: Caderno 2

17/05/2010: Caderno 3

Neste trabalho, feito de recortes, um lado humano é trazido à questão da educação e nos faz entender o mais importante: a família influencia de forma importante o aprendizado das crianças. Por trás dos números, há “rostinhos” de crianças que passam por histórias familiares complexas e, ainda, famílias com limitações acadêmicas severas – muitas nem o antigo primeiro grau têm – que querem se envolver com o aprendizado de seus filhos e não sabem como.

Este enfoque agora será trabalho por nós, ao visitar escolas: aproximaremo-nos também das famílias, entendendo e estabelecendo – estou certo disso – uma relação direta entre participação dos pais e o rendimento dos filhos. Mas a questão é: como traduzir isto em política pública?

Fica o desafio, que buscaremos agora conjuntamente com os demais fatores, na busca de proposições que ajudem o desenvolvimento da nossa cidade, que, sem qualquer dúvida, passa obrigatoriamente pela educação – e aprendizado – de nossas crianças.

Sessenta escolas estão sendo escolhidas, com base no IDEB, para que comecemos este estudo já no mês de junho. Mais novidades em breve.

Abraços,
Paulo Messina

%d blogueiros gostam disto: