Diagnóstico Precoce de Autismo nas Creches à Vista

Pessoal,

Foi um grande sucesso a reunião da Secretária de Educação, Cláudia Costin, com a Professora Carolina Lampreia, da PUC Rio, uma das maiores pesquisadoras em diagnóstico precoce de autismo no país.

Procurei provocar a reunião porque hoje, no Brasil, não existe nenhuma cidade em que os profissionais da rede pública de ensino estejam preparados para observar e perceber sinais de alerta de crianças no espectro autístico. É cientificamente comprovado que, quanto mais cedo existe a intervenção, melhores serão as chances da criança desenvolver suas funcionalidades e evitar problemas secundários que possam surgir em decorrência da não intervenção na idade ideal.

Dra. Carolina está propondo aplicar um novo modelo de 14 perguntas baseado num sistema europeu que pode ser facilmente respondido pelas Agentes Auxiliares de Creche e Professores de Ensino Infantil de toda a Rede de Creches e PICs. O alerta já pode ser dado na idade de 14 meses. É importante ressaltar que é apenas um questionário a que se deve responder “SIM” ou “NÃO” e, dependendo da pontuação, o alerta é dado. Simples assim, sem custos ou tempo perdido. Tipo: “A criança responde quando chamada pelo nome”? “A criança evita fazer o contato visual”? E outras 12 perguntas seguem, sendo que uma certa quantidade de “NÃOs” terá pontuação e ligará o alerta.

Hoje, a cidade do Rio de Janeiro deu um passo vital nesta direção, e o protagonismo no país que, quem sabe, será seguido um dia por todos! Os próximos planos são estabelecer um programa de treinamento que será feito por CRE (as escolas e creches são divididas em 10 áreas chamadas “Coordenadorias Regionais de Educação”), portanto em 10 locais haverá um treinamento concentrado destes profissionais, e as informações já poderão fluir no final deste ano e início do próximo.

A vida de milhares de pessoas será diferente, e tenho certeza de que estamos com isso trilhando o caminho correto. Agradecimentos mais que especiais à Dra. Carolina e à Secretária Cláudia Costin. Aguardem novidades e o desenrolar da execução da iniciativa.

Abraços,
Paulo Messina

Marcado:, ,

6 pensamentos sobre “Diagnóstico Precoce de Autismo nas Creches à Vista

  1. lucianoaragao segunda-feira, 19 setembro 2011, 9:24 PM às 9:24 PM

    Paulo, amigo, PARABÉNS!!!!!!!

    Fenomenal a iniciativa!

    Realmente a escola e creche é o local onde as crianças passam a maior parte do seu tempo e os professores seguindo este protocolo, poderão solicitar aos pais que encaminhem a criança ao médico especialista.

    Isto gera demanda para a saúde pública, demanda de profissionais capacitados, centros de tratamento, educação especializada em autismo, estatísticas etc, etc, etc…

    Enfim Paulo, o Município do Rio de Janeiro, irá tirar sua venda e descobrirá o AUTISMO.

    P A R A B É N S e obrigado grande amigo.

    Abraços.

    LUCIANO E DENISE ARAGÃO

  2. Ulisses da Costa Batista terça-feira, 20 setembro 2011, 9:55 AM às 9:55 AM

    Prezado Vereador Paulo Messina, nós ainda não tivemos oportunidade de conversar sobre o tema políticas públicas para os autistas. Bem, acredito que estamos avançando muito nesses últimos anos. Precisamos ampliar cada vez mais esta rede de profissionais que possam detectar o autismo precocemente, e a creche é um ótimo lugar, contudo, eu gostaria muito que fosse reeditada a lei do autismo, que determina que a rede de saúde de atendimento mãe bêbe, programa saúde da família, entre outros fossem capacitados para detectar os sinais precoces, para assim encaminhá-los aos centros de tratamento multidiscplinar, e acompanhamento aos familiares.

    É urgente que os pediatras da rede pública de saúde sejam capacitados por meio de congressos e/ou algum curso de extensão ou pós-graduação. As famílias sem recursos para arcar com os altos custos de tratamento não podem esperar mais!

    É URGENTE a integração entre saúde e educação! É assim que funciona nos EUA! As equipes multidisplinares irão montar estratégias de ensino para cada indivíduo, os resultados são muito promissores!

    Agora é claro, que em um país com baixíssimo rendimento na educação nacional, devido os baixos investimentos, profissionais mal pagos e sem estimulação devido a falta de plano de cargos e salários, e falta de recursos pedagógicos no ambiente escolar, ficará quase IMPOSSÍVEL implantar programas para os autistas que atendam as suas especificidades!

    Muito obrigado por fazer parte de nossa luta!

    Ulisses

  3. Tânia Bastos quarta-feira, 21 setembro 2011, 10:53 AM às 10:53 AM

    Parabéns vereador Paulo Messina e secretária Cláudia Costin pela iniciativa. Esse projeto com certeza terá meu apoio na Câmara. Juntos, nós (Legislativo e Executivo) faremos muito mais pelas crianças com esse transtorno.

    • Paulo Messina quarta-feira, 21 setembro 2011, 12:15 PM às 12:15 PM

      MS, estamos juntos! 😉

  4. Audiência sobre Autismo na Alerj « Blog do Messina terça-feira, 25 outubro 2011, 8:11 AM às 8:11 AM

    […] como pode ser feito num programa de saúde da família. Na cidade do Rio de Janeiro, já está em implantação nas creches do procedimento de vigilância precoce. Quanto mais cedo for dignosticado e tratado, melhores serão os resultados para a criança. Este […]

  5. […] Nestes casos, o diagnóstico precoce e a preparação das educadoras de creche para identificar sinais de TGD é fundamental, e um convênio já foi assinado com a PUC-RJ para este fim. […]

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: