Programa Interdisciplinar de Apoio às Escolas

Pessoal,

A crescente falta de envolvimento das famílias na educação de suas crianças é um dos principais problemas nas escolas. Para abordar este e outros casos, existe o Programa Interdisciplinar de Apoio às Escolas, o Proinape, que agora será assegurado em lei, garantindo à Secretaria Municipal de Educação uma estrutura para as equipes itinerantes, formadas por três profissionais: professor, assistente social e psicólogo.  As equipes também abordam junto aos alunos os casos de violência, conflitos, dificuldade de relacionamento com os colegas, professores e pais, entre outros desafios do cotidiano escolar.

Hoje, os psicólogos e assistentes sociais que trabalham nesse programa são lotados na Educação, mas são de outras secretarias, o que causa dois grandes problemas: (1) o profissional se desmotiva com a instabilidade de poder ser remanejado a qualquer momento; (2) Se sair, não há como o gestor repor, pois o cargo público específico não existe.

Assim, as equipes de três servidores, que começaram em 2009 com quantitativo de 115 de cada categoria, hoje somam apenas 80. O projeto, tão importante para as escolas, vem com isso minguando.

Quando o projeto de lei for aprovado, o programa será política pública da cidade, e cargos especificamente criados na Educação vão garantir, pelo menos, 200 grupos fixos de profissionais rodando as 1.064 unidades do Rio de Janeiro, sem os problemas atuais.

Abraços,
Paulo Messina

Marcado:

8 pensamentos sobre “Programa Interdisciplinar de Apoio às Escolas

  1. Márcia Lessa Assistente Social sábado, 16 junho 2012, 11:39 AM às 11:39 AM

    Olá Messina acho este trabalho de suprema importância para a educação das nossas crianças . Eu como Assistente Social , coloco-me a disposição para participar meu e-mail e lessa.marcia@hotmail.com , fico no aguardo preciso trabalhar neste projeto tão maravilhoso. Márcia Lessa. 21 7815-6838 ( sou concursada pela educação na prefeitura do RJ e estou aguardo a chamada) Grata. Um abraço …

  2. Sandra Pereira Xavier sábado, 16 junho 2012, 2:25 PM às 2:25 PM

    Fico muito feliz quado vejo essas providências sendo tomadas. A Educação Pública no Rio de Janeiro urge por isso, a situação social de nossos alunos está cada vez mai caótica e vemos um imenso colapso cada vez mais próximo! Sou Coordenadora Pedagógica de um CIEP da rede municipal de educação e me assusta ver crianças de quatro anos apresentando certos tipos de agressividade que fogem a um padrão de “normalidade” e isso se estende a todas as faixas etárias. Obrigada Vereador por seu empenho em resgatar princípios vásicos na educação de nosso município.
    Abraços

  3. Rosa Maria de Souza Camelo sábado, 16 junho 2012, 8:42 PM às 8:42 PM

    Peço professores e assistentes sociais e psicólogos preparados .E que não subestime a inteligência dos pais e das crianças por estarem em colégio público. Achando que todos vem de família desestruturadas e etc….Muita cautela .

  4. Francisca de Lourdes Ventura Viana sábado, 16 junho 2012, 9:10 PM às 9:10 PM

    Parabéns vereador Messina pelas suas iniciativas e interesse por nossas crianças. Aproveito para sugerir a inclusão do terapeuta ocupacional , com certeza será um grande ganho para a equipe. Abraços.

  5. José Omar Duarte Ventura sábado, 16 junho 2012, 11:26 PM às 11:26 PM

    PARABÉNS! AS SEMENTES ESTÃO SENDO PLANTADAS EM BUSCA DE UMA EDUCAÇÃO DE QUALIDADE PARA A ESCOLA PÚBLICA DE NOSSO MUNICÍPIO. BASTA DE DEMAGOGIA! OMAR.

  6. sueli domingo, 17 junho 2012, 10:26 PM às 10:26 PM

    O problema é mais grave do que se apresenta.Trabalho como explicadora e fico muito triste com o pouco caso que as crianças da escola pública são tratadas.A maioria é analfabeta e os livros didáticos são só para fazer volume…triste , muito triste que as conveniências políticas falem mais alto que o dever.Um país maravilhoso como o nosso, que o mundo está vendo despertar … escondendo a sujeira embaixo do tapete.Trabalhe sim nesse objetivo , imagine essas crianças daqui a dez anos.Outra sugestão é sobre valores morais ,pense em algo que possa restituir os valores morais ,essas crianças que agora estão agressivas nas escolas são filhos do descaso de anos atrás ,cada um dá o que tem.Acenda essa luz ! Todo ser humano tem direito a dignidade.
    Sueli

  7. Norma Fernandes terça-feira, 19 junho 2012, 10:25 PM às 10:25 PM

    Olá Messina,gostaria de saber se há alguma possibilidade dos professores que estão trabalhando como agente educador conseguir trabalhar nesse projeto interdisciplinar junto às famílias?Não seria um trabalho como o de agente de saúde?Volto a pedir um olhar especial para os agentes educadores,que em sua maioria são professores formados e preparados par agir na educação.Obrigada.Norma

  8. Maria Fernanda Lima Gouveia quarta-feira, 20 junho 2012, 8:59 PM às 8:59 PM

    Olá Deputado, vou direto ao assunto: porque não pensar na inclusão do Psicopedagogo? Afinal ele é com propriedade um profissional interdisciplinar!
    Um abço e parabéns pelo seu trabalho.
    Maria Fernanda

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: