Pólo de Cinema Ameaçado no Rio

Pessoal,

Uma herança do passado ameaça a produção cultural da nossa cidade: O Pólo de Cinema, localizado na Avenida Abelardo Bueno 2001, em Jacarepaguá, com 57.570 m2 pertencentes à Prefeitura do Rio. Lá funciona um moderno complexo audiovisual dotado de cinco grandes estúdios cinematográficos, sendo dois com 204 m2, dois com 600 m2 e um estúdio com 1.200 m2 de área. Há também uma moderna área administrativa, um restaurante, estacionamento e ampla infra-estrutura.

Em 2003, a Rio Urbe foi condenada pelo INSS (processo 2003.51.01.524710-6) a pagar R$ 33 milhões de dívidas da era Saturnino Braga, e em 2008 o então prefeito César Maia deu em garantia de pagamento, ou seja, penhora, os estúdios do pólo de cinema, através do ofício 050.0443-0/08, datado de 15/05/2008 da 5ª vara federal de execução fiscal.

E agora, quatro anos depois, está próxima a realização de leilão para a área. Em resumo, nossa cidade fica ameaçada de perder um importante pólo de cultura, que tanto já contribuiu para o cinema no Brasil. Para evitar que isso possa ocorrer, darei entrada hoje ainda no projeto de lei que tombará o Pólo por sua importância cultural para o Rio de Janeiro, impedindo que esse importante equipamento saia da mão do povo carioca.

Abraços,
Paulo Messina

8 pensamentos sobre “Pólo de Cinema Ameaçado no Rio

  1. Pedro Ernesto Stilpen quarta-feira, 15 agosto 2012, 10:56 AM às 10:56 AM

    Tanta %&**@# foi cometida nessas décadas debaixo do nariz do povo! A Cidade da Música, o fechamento dos teatros e cinemas de bairro, a morte lenta e dolorosa da esperança, numa troca criminosa com a criação de seitas em nome de Jesus! Há tanto trabalho pela frente, que nem dez mandatos dão jeito. Vamos eleger você, e para prefeito na próxima. Aí, pode ser.

  2. solange quarta-feira, 15 agosto 2012, 10:59 AM às 10:59 AM

    com a sua interceção teremos com certeza uma vitoria,gostaríamos de ter um espaço de cinema voltado para a criança aqui na maré temos a lona cultural que infelizmente não consegue devido a ser localizada em aréa de risco fazem alguma coisa mas não obtem resultado.

  3. Pedro Ernesto Stilpen quarta-feira, 15 agosto 2012, 11:21 AM às 11:21 AM

    Para a Solange, aí em cima: ISTO é cultura. Não se trata de cinema, é um trabalho de base que leva à produção cinematográfica. Parabéns. Ainda tem gente que entende nesta terra.

  4. Elis Zerbinatto quarta-feira, 15 agosto 2012, 11:39 AM às 11:39 AM

    Fico muito triste com a notícia…tem algum jeito de reverter essa situação?
    fazer algum movimento…alguma denuncia sobre o descaso coma cultura…?

  5. Carla Crocchi quarta-feira, 15 agosto 2012, 12:06 PM às 12:06 PM

    Não sei se o tombamento é a melhor saída. Não cabe utilizar recursos da Lei Rouanet? Não podemos adquirir ações de rentabilidade dos produtos ali produzidos?

  6. Olga Martins Wehb quarta-feira, 15 agosto 2012, 1:57 PM às 1:57 PM

    PARABENS PELA INICIATIVA, VER. PAULO MESSINA.

  7. Sergio Chamoun quinta-feira, 16 agosto 2012, 9:46 AM às 9:46 AM

    Acho que o Rio tem problemas mais sérios do que esse, exemplo: falta de leitos nos hospitais, educação, etc.

  8. Celina quinta-feira, 16 agosto 2012, 1:18 PM às 1:18 PM

    Todos esses problemas são sérios, não é porque trata-se de cinema que não tem seu valor. Quantas pessoas vão deixar de ter seu local de trabalho por causa de pessoas que ao chegarem ao poder fazem o que querem, e não o que é melhor para o povo. Quantos imóveis do governo estão caindo aos pedaços, enquanto poderiam estar sendo utilizados para beneficiar o povo que paga um valor muito alto de impostos. Agora com a net temos mais é que conseguir que mais pessoas se unam para mudar essas situações. Uma andorinha não move moínho, mas a união faz a força!

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: