Reflexões sobre o Novo Cargo de Agente de Apoio à Educação

Pessoal,

Como vocês sabem, no meio de novembro chegou à Câmara o projeto de lei da Prefeitura que cria do cargo do Agente de Apoio à Educação (texto na íntegra aqui).

Quando soube que iam mandar o projeto, depois de tanto cobrarmos, comemorei muito a possibilidade de ter um profissional – servidor concursado – no lugar de estagiários sem vínculo, fazendo o trabalho de facilitadores em sala de aula para alunos com deficiência e transtornos globais de desenvolvimento.

mediacao

Contudo, ao ver o projeto publicado, senti algumas decepções.

A primeira delas, com relação à extinção do cargo de Agente Auxiliar de Creche (artigo 5º do projeto). Tal fato não faz justiça a esses servidores, que devem ter seu papel corretamente valorizado e não extinto. O caminho para a valorização não é substituir os auxiliares de creche por esse cargo novo, que em nada teria a ver com a atuação no cotidiano escolar.

Aí está, então, a primeira emenda que já preparei para modificar o projeto: a retirada do artigo 5º, o que vai fazer com que o Auxiliar de Creche não fique em extinção, nem as vagas remanescentes, mantendo inclusive a possibilidade de luta pela efetivação dos que hoje estão contratados. Com essa emenda aprovada, o projeto não terá absolutamente nada a ver com os auxiliares de creche.

Em segundo lugar, está a exigência de formação mínima: Ensino médio completo. Há quem defenda que é obrigatória a formação de professor para fazer a mediação escolar. Eu discordo totalmente. Mas não concordo com apenas o ensino médio completo.

A formação de normal, ou até mesmo pedagogia, não dá o preparo necessário ao profissional para trabalhar as crianças com deficiência. É muito mais aceito pela comunidade científica que o facilitador tenha formação a ver com a deficiência da criança, seja ela sensorial, intelectual, motora, social etc. Um normalista, por exemplo, não saberá ser intérprete de libras tanto quanto o que terá apenas o nível médio.

Escreveram em seu artigo a Dra Renata Mousinho e autores na Revista Psicopedagogia n.82/2010: “(…) Os mediadores escolares podem ser professores, fonoaudiólogos, terapeutas ocupacionais, psicólogos, pedagogos, psicopedagogos, fisioterapeutas, sempre acompanhados pela equipe terapêutica da criança ou adolescente e pela equipe escolar. A escolha do mediador está na relação entre sua formação acadêmica e a maior demanda da criança (comunicação, comportamento ou motora, por exemplo). Além disso, o mediador escolar deve ter a aptidão e habilidades interpessoais necessárias para desenvolver e manter relações de trabalho eficazes com as crianças, famílias e demais profissionais que as assistem, que inclui saber respeitar e compreender as dificuldades da família e da criança, ter flexibilidade para se adequar à dinâmica do ambiente escolar que estará se inserindo, disponibilidade para aprender e muita criatividade”

E é essa linha de pensamento que apoio por saber ser a melhor. Engessar a discussão de que a mediação escolar precisa ser feita por professor é não conhecer a realidade das crianças com deficiência. A sala de aula já tem seu professor regente. O Facilitador vem auxiliá-lo na mediação, não fazendo de forma nenhuma as vezes do regente.

Entendo plenamente que o programa paliativo de estagiários para fazer esse papel já passou da hora de ser substituído por um programa definitivo. Como o estagiário depende do convênio com a Universidade, inúmeros problemas ocorrem no período de 6 meses em que o contrato está em vigor, e é muito comum a criança ficar mais sozinha em sala de aula do que acompanhada, pois há muitas faltas, e até mesmo a descontinuidade, no caso do aluno trancar a faculdade etc. Além disso, é importante considerar que uma grande parte das crianças sequer tem estagiário disponível.

Também é claro que não se pode colocar um servidor apenas de nível médio para esse trabalho. Por isso, farei a segunda emenda que exigirá a qualificação profissional técnica do Instituto Helena Antipoff, a fim de garantir que o profissional esteja preparado para trabalhar com a deficiência para a qual for designado. Por exemplo, treinamento em libras para mediação de crianças surdas, conhecimentos de problemas sociais e comportamentais para atuação com alunos com autistmo e assim por diante.

Ora, mas por que não contratar logo os servidores com essa exigência de formação mínima?

São 8 mil vagas. Não há, seguramente, 8 mil profissionais especializados em mediação escolar, com todas as particularidades, na cidade do Rio de Janeiro. Quiçá temos no Brasil. Não estamos falando de 300 ou 400 profissionais, mas de 8 mil novos. Por este motivo, também entendo que financeiramente a Prefeitura não tenha a condição de colocar todos no nível superior imediatamente, então o que proponho é que façamos a substituição imediata dos estagiários – e disponibilização desses profissionais a crianças que não tenham sequer acompanhamento – e paralelamente vamos formando essa mão de obra.

Acredito que possam passar despercebidos pelo leitor que não conheça profundamente o assunto os demais desdobramentos ocultos dessa medida. Por exemplo, não existe regulamentação dessa profissão, extremamente nova e que só começou a ganhar força no Brasil a partir de 2000. Estamos diante da possibilidade do poder público formar 8 mil profissionais no mercado que possam fazer mediação escolar. As escolas particulares, em sua quase totalidade, não têm esse trabalho e compete aos pais pagar por essa mão de obra – igualmente difícil de encontrar, mesmo com bons salários.

Portanto, para curar minha decepção com esse projeto, vou promover correções que julgo importantes, sendo a primeira a separação completa e absoluta do assunto dos Auxiliares de Creche. Essa categoria deve ser tratada à parte e com a valorização que merece, fora desse assunto e fora desse projeto.

Em segundo lugar, a exigência de formação específica para cada deficiência desse profissional, e não somente o ensino médio.

Por fim ainda farei uma terceira emenda para exigir que esse profissional jamais fique sozinho em sala de aula. É necessário um Professor Regente em todos os tempos. Esse novo servidor não pode ser usado para cobrir faltas de professor.

Acredito que com esses três pontos cruciais, o projeto fique bom para as escolas, e principalmente, para as crianças que tanto precisam.

Muitos de vocês não sabem o que é chegar numa escola e encontrar uma criança incluída, olhando para o nada, não conseguindo acompanhar a matéria, e ainda ouvir que na sala especial ele era alegre e agora está introspectivo. Eles têm pressa. Cada dia é uma tortura para muitos, e farei tudo que estiver ao meu alcance para que possam ser assistidos o quanto antes.

Abraços,
Paulo Messina

53 pensamentos sobre “Reflexões sobre o Novo Cargo de Agente de Apoio à Educação

  1. adriana brasil terça-feira, 4 dezembro 2012, 12:09 PM às 12:09 PM

    com certeza só o ensino médio não dá base para um profissional trabalhar com crianças esapeciais ,esta é uma grande falha do projeto ….

    • simone quinta-feira, 10 janeiro 2013, 4:57 PM às 4:57 PM

      Caro vereador. Sou AAC e em minha turma não tem PEI .Temos uma criança incluída em nossa turma com paralisia cerebral e que é alimentada por sonda. Nunca recebemos a visita de um profissional de saúde ou estagiário, e não tínhamos nenhum preparo para lidar com a criança; tendo que aprender na prática. contamos com o amigo para nos ajudar nessa luta pela melhoria de nosso cargo.

  2. Charles Angelo terça-feira, 4 dezembro 2012, 12:51 PM às 12:51 PM

    Querido Vereador, acredito e confio que todas as emendas elaboradas têm a melhor das intenções, porém, seria muita inocência de minha parte acreditar que o prefeito fará concursos para 8 mil vagas só para atuar na Ed. Especial, enquanto na educação infantil, que tem uma demanda enorme, ele só nomeou aproximadamente 7 mil agentes durante todos esses anos.
    Acredito sinceramente que esse número de vagas só está no P.L. por conta da intenção de substituir os auxiliares de creche por este novo cargo. caso contrário, tratará de diminuir drasticamente o número de vagas. Desculpe, mas não tenho motivos para acreditar em tamanha preocupação da S.M.E. com nossos alunos especias.

  3. Bárbara Lima terça-feira, 4 dezembro 2012, 12:57 PM às 12:57 PM

    Continuo batendo na tecla de que a formação exigida deverá ser o ensino médio NORMAL. E depois do concurso a própria prefeitura poderá oferecer uma capacitação. Escola é lugar de professor. Mas não sejamos inocentes, se colocarem professores vão ter que pagar como professores e ai qual governo vai gostar? Messina confio na sua boa vontade, mas vc não pode ser inocente de pensar que esse cargo não vai ser um tapa buracos e que logo após tomarem posse vão exigir o enquadramento como professores, com toda a razão.

  4. Eliane Mendes da Silva terça-feira, 4 dezembro 2012, 1:13 PM às 1:13 PM

    Estou fazendo pedagogia 2° semestre,quando abrirá concurso para Agente de Apoio à Educação. Pois tenho interesse.Obrigada.Boa Tarde.

  5. alexandra tavares terça-feira, 4 dezembro 2012, 2:11 PM às 2:11 PM

    estou confiante.nossa luta continua.

  6. Kelly terça-feira, 4 dezembro 2012, 2:34 PM às 2:34 PM

    Muitos não sabem, mas nós, Agentes Educadores desvalorizados, desrespeitados e abandonados, sabemos a situação dos alunos incluídos. Acho que o que muitos não sabem é a nossa situação.
    Concordo com o cargo, mas é uma pena que somente o meu cargo não esteja entre aqueles com possibilidade de crescimento profissional, afinal, ainda não há especialização para “tapa buraco” e o que fazemos “não é importante”.

    • Alessandro quarta-feira, 5 dezembro 2012, 8:35 PM às 8:35 PM

      Também acredito que o cargo possa somar, mas fico triste em saber e perceber que, nós, AGENTE EDUCADORES, ficamos de fora mesmo de qualquer possibilidade de melhorias.
      Sem possibilidade de crescer, para se ter idéia, nosso piso é menor do que atendente de Mc Donalds,super atarefados e tapa buracos MESMO.
      Acredito nas crianças, mas ….

      ..prefiro acreditar em mim e estudar cada dia mais.

    • Gisele Oliveira sexta-feira, 7 dezembro 2012, 12:12 PM às 12:12 PM

      A preocupação com a inclusão destes alunos é importante.Porém o que vai acontecer com este cargo é o que já acontece com as Agentes Educadores,ficarão sobrecarregados de tarefas como nós,pois os professores faltam com frequência e tudo ficará em suas costas,como sempre fica na nossa.Os Agentes Educadores pedem socorro e não há ninguém que
      possa ajudar.Paulo Messina cadê você,também precisamos de ajuda……..

  7. Celi Rosa dos Santos terça-feira, 4 dezembro 2012, 2:56 PM às 2:56 PM

    Vereador Paulo Messina, eu como uma AAC concordo plenamente contigo. Os AACS não podem estar vinculados nesta questão, nós como profissionais da educação devemos ser valorizados profissionalmente, somos e sempre fomos os professores de turmas nas creches. Obrigada por nos apoiar. Ai de nós se estivéssemos sozinhosnessa luta.Confiamos e temos fé em Deus que nossa situação será resolvida satisfatoriamente.Teu apoio aos AACS é uma dádiva de Deus.Deus te abençoe, ilumine os teus caminhos e dê muita sabedoria. Carinhosamente um forte abraço.
    Celi Rosa dos Santos AAC da 10ª CRE

  8. Kelly terça-feira, 4 dezembro 2012, 3:07 PM às 3:07 PM

    Comentário deletado?

  9. Lorena Maria Nova Alves - mãe representante da 2ª CRE terça-feira, 4 dezembro 2012, 3:57 PM às 3:57 PM

    Há muito tempo nós do GT de pais da Educação Especial na Perspectiva Inclusiva apontamos a necessidade de um mediador. Acredito que este concurso deva ser específico para o atendimento de alunos da Educação Especial e Inclusiva, sendo o processo seletivo feito por etapas. Primeiro um concurso para pessoas com nível médio. Segunda etapa após Formação especializada ministrado pelo IHA um nova fase seletiva. Assim não correremos alguns riscos, como por exemplo: o concursado sendo professor alegar que não se identifica com a Educação Especializada, mas que é concursado e querer dar aula em turma regular; ou ainda este profissional virar um professor de reforço para todos os alunos da turma.
    Deixo aqui também o meu manifesto pelos membros do GT não terem sido chamados para colaborar na formulação deste Projeto de Lei já que fomos escolhidos pelos pais da rede municipal para representá-los.

    • Adriana F. de Carvalho terça-feira, 4 dezembro 2012, 9:23 PM às 9:23 PM

      Perfeita colocação Lorena. Afinal, para que servem os representantes das CRES e GTs de responsáveis da Educ. Especial?????

  10. margareth terça-feira, 4 dezembro 2012, 6:07 PM às 6:07 PM

    que deus o ilumine para nos contratado contamos com o senhor fique com deus

  11. Alexandre Lemos terça-feira, 4 dezembro 2012, 6:14 PM às 6:14 PM

    Prezado Vereador,
    Cabe-me uma pergunta: Devemos esquecer o abandono e o desvio de função ao que foram entregues os agentes educadores?
    Bandeiras desfraldadas no passado serão recolhidas/esquecidas …

  12. gilda santos de oliveira terça-feira, 4 dezembro 2012, 7:35 PM às 7:35 PM

    faço minhas as palavras da nossa amiga Alexandra Lemos.

  13. Lilian Luzia terça-feira, 4 dezembro 2012, 7:43 PM às 7:43 PM

    Outro ponto importante e a enturmação . Desde setembro , outubro as equipes das CREs , IHAs não fazem mais avaliações nas crianças passíveis de integração , e o que acontecerá é que apesar das avaliações dos professores destas crianças durante todo este ano , elas só poderão ser encaminhadas ao IHA bem depois do inicio do ano escolar , e depois de enturmadas em turmas comuns , como crianças comuns , mesmo que as equipes do IHA entendam que precisam de atendimento especial , não haverá mais redução do quantitativo !!!! E muito menos o professor recebe alguma capacitação especifica … Durante cinco anos tive um aluno possível autista , e nem ele , nem a família e muito menos eu recebemos orientação ! Eu por conta própria , fui a seminários , congressos da ABENEPI , ABDAH , ANDISLEXIA …comprei livros , revistas …a turma , eu e ele evoluímos , mas ano q vem ele estará em outra escola , com outros professores possivelmente Desinformados …

    Enviado via iPhone

  14. vanessa terça-feira, 4 dezembro 2012, 8:20 PM às 8:20 PM

    Como duvidar de um vereador que até o presente momento caminhou lado a lado conosco!
    Quero que saiba que continuo confiante sou AAC concursada/contratada. Tenha um feliz natal!
    Sr. Paulo Messina; nosso eterno vereador…

  15. Eliel Barberino terça-feira, 4 dezembro 2012, 8:56 PM às 8:56 PM

    Caro vereador,
    É notável o seu empenho pela melhoria dos funcionários de apoio à educação. Continue assim.
    Porém não se esqueça da categoria dos agentes educadores. Precisamos muito da sua ajuda para melhoria das nossas condições de trabalho.

  16. pablo Ricardo terça-feira, 4 dezembro 2012, 9:18 PM às 9:18 PM

    Vereador,nós Agentes Educadores pedimos socooooooooooorro!!!!!!!!!!

  17. angelica terça-feira, 4 dezembro 2012, 9:35 PM às 9:35 PM

    Paulo Messina concordo com vc que este profissional tenha uma formação para saber lidar com os PNE , já trabalhei em uma creche a 10 anos que tinha aluno especial , no começo foi muito difícil para mimi, pois ñ tinha conhecimento do fato,mais graças a DEUS tinha uma equipe(FUNLAR SMDS) que me ajudou muito.

  18. Jane terça-feira, 4 dezembro 2012, 9:42 PM às 9:42 PM

    Muito interessantes as suas propostas de emenda a este PL tão mal elaborado, que em momento algum demonstra preocupação com a verdadeira inclusão dos PNEs. A educação no RJ é uma fraude, trabalha-se com mão de obra qualificada mas sem o mínimo valor, o barateamento de tão importante tarefa, que é cuidar e educar crianças, tem sido a dinâmica da nova gestão, lamentável. Com todo o respeito, esperamos que a suposta “inocência” que muitos aqui atribuem ao prezado vereador Paulo Messina, possa nos surpreender, afinal, desejamos sim uma educação verdadeira,comprometida com a criança e que esta não seja mais tratada como um ator coadjuvante e sim como o protagonista de uma grande produção, digna de Oscar. Este deveria ser o olhar da gestão atual para a educação e todos os atores nela envolvidos no RJ.
    Messina, contaremos sempre com o seu bom senso e retidão. Abraços fraternos.

  19. Fábio Lúcio terça-feira, 4 dezembro 2012, 10:55 PM às 10:55 PM

    Olá, sou estagiário de uma escola da rede Municipal e não trabalho com crianças especiais. Fiquei feliz com esta nova função que vai está disponível nas escolas no próximo ano. Boa iniciativa.
    Confesso que depois de ler este artigo fiquei triste por saber que este cargo, ao qual eu já estava criando expectativas para ingressar, faça exigências de curso extras além do ensino médio para cada área de atuação, porém eu não devo pensar só em mim e, sim, no melhor para as crianças que serão beneficiadas por estes profissionais mais bem preparados. Por isso eu aprovo a sua iniciativa Paulo Messina, assim como não permitir também a extinção do cargo de auxiliar de creche. Tem o meu apoio. Parabéns.

  20. Lilian Luzia quarta-feira, 5 dezembro 2012, 7:45 AM às 7:45 AM

    Outro ponto importante e a enturmação . Desde setembro , outubro as equipes das CREs , IHAs não fazem mais avaliações nas crianças passíveis de integração  , e o que acontecerá é que apesar das avaliações dos professores destas crianças durante todo este ano , elas só poderão ser encaminhadas ao IHA bem depois do inicio do ano escolar , e depois de enturmadas em turmas comuns , como crianças comuns , mesmo que as equipes do IHA entendam que precisam  de atendimento especial , não haverá mais redução do quantitativo !!!! E muito menos o professor recebe alguma capacitação especifica … Durante cinco anos tive um aluno possível autista , e nem ele , nem a família  e muito menos eu recebemos orientação ! Eu por conta própria , fui a seminários , congressos da ABENEPI , ABDAH , ANDISLEXIA …comprei livros , revistas …a turma , eu e ele evoluímos , mas ano q vem ele estará em outra escola , com outros professores possivelmente     Desinformados …

  21. Vera Lucia Ferreira Lobo quarta-feira, 5 dezembro 2012, 8:28 AM às 8:28 AM

    Sou professora do Ensino Fundamental e já trabalhei com crianças especiais em turmas com alunos ditos “normais”,e sei quão é difícil, concordo que deve haver uma preparação pra assumir essa função! Eu gostaria de trabalhar com eles, pois é um aprendizado onde se tem muito a ganhar! BOA SORTE EM SEUS PROJETOS, PAULO MESSINA!

  22. ANGELITA ARAJO quarta-feira, 5 dezembro 2012, 9:25 AM às 9:25 AM

    ESPERO QUE VC CONSIGA O QUE DESEJA ESTOU ACOMPANHANDO SUA LUTA E OS OBSTCULOS QUE VC TA ESBARRANDO NS DAQUI DO INTERIOR TAMBM ESTAMOS ENFRENTANDO ,PERCEBEMOS MUITA M F E UM ENORME PRECONCEITO POR PARTE DA EDUCAO D0S POLTICOS…..POR ISSO QUERAMOS QUE ESSAS LEIS FOSSEM CRIADAS NO MINISTRIO DA EDUCAO,E TODOS TERIAM QUE SEGUIR,SE O SENHOR TIVER UM DEPUTADO FEDERAL,OU SENADOR QUE ACEITASSE LUTAR COM VC POR NS,FICARAMOS IMENSAMENTE FELIZ.BOM ,COM A SITUAO DO PROFESSOR NO FICAR EM SALA E A GENTE TER QUE ASSUMIR SALA DE AULA J UMA PRTICA ABUSIVA E COVARDE QUE EXISTE NAS CRECHES ISSO TEM QUE ACABAR OU ENTO ACEITAREM QUE O AUXILIAR ACABA FAZENDO DUAS FUNES E NOS REMUNERAR POR ISSO,TEM QUE ACABAR COM MUITAS COISAS ESSA CARGA HORARIA DESUMANA PARA QUEM ATUA EM SALA DE AULA COMO NS…OBRIGADA VEJO QUE PODEMOS CRIAR UMA BOA PARCERIA.

    Date: Tue, 4 Dec 2012 14:56:13 +0000 To: angel76vasco@hotmail.com

  23. marisa gama quarta-feira, 5 dezembro 2012, 1:24 PM às 1:24 PM

    Caro vereador! Eu estou ficando desmotivada, pois o que vejo é que cada vez mais, o professor no Brasil vem sendo desrespeitados e desvalorizados.Criam-se cargos públicos que intencionalmente ou não só nos prejudicam. É obvio que para um trabalho desse gabarito será necessário pessoas qualificadas e preparadas para essa função.

  24. Cintia Louise quarta-feira, 5 dezembro 2012, 1:35 PM às 1:35 PM

    Sou estudante de pedagogia e estagiária na rede municipal de ensino do Rio, tenho acompanhado de perto a dificuldade de alguns alunos com necessidades de educação especial. Fico feliz com a criação desse novo cargo. Este, se faz realmente necessário, para que alunos incluídos possam ter atendimento exclusivo, na sala de aula junto aos alunos regulares. Pois é muito difícil um professor em sala de aula com ” 40 ” alunos dar a devida atenção que estes precisam. Aguardamos ansiosos!

  25. Gildete Oliveira quarta-feira, 5 dezembro 2012, 6:52 PM às 6:52 PM

    Quero expressar todo o meu respeito ao vereador, nas eleições briguei para defende-lo. Sei que valeu a pena , eu acredito no esforço e dedicação , mas precisamos urgente de uma saída,. Queremos ver nossos esforços sendo reconhecidos. Temos dado do melhor para nossas crianças em sala de aula. Dizem : quem ensina é PROFESSOR! Este tem sido o nosso papel . CUIDAR e ENSINAR!
    Quem é contra ao nosso enquadramento , que se dê ao luxo de passar um dia em sala de aula , e tire as suas conclusões. Paulo Messina Deus te abençoe!!!!!

  26. Alexandra Tavares da Silva quarta-feira, 5 dezembro 2012, 8:26 PM às 8:26 PM

    eu acredito que vai dar tudo certo.em nosso país ainda está engatinhando quando se fala em educação.precisamos de pessoas atuando no bem mais precioso,que são as crianças, para que possamos sair dessa desigualdade: paulo messina fico feliz com seu olhar para as crianças especiais.força nessa jornada! conte comigo.

  27. Alessandro quarta-feira, 5 dezembro 2012, 8:36 PM às 8:36 PM

    Também acredito que o cargo possa somar, mas fico triste em saber e perceber que, nós, AGENTE EDUCADORES, ficamos de fora mesmo de qualquer possibilidade de melhorias. Sem possibilidade de crescer, para se ter idéia, nosso piso é menor do que atendente de Mc Donalds,super atarefados e tapa buracos MESMO. Acredito nas crianças, mas ….

    ..prefiro acreditar em mim e estudar cada dia mais.

  28. Tatiana Araujo quarta-feira, 5 dezembro 2012, 8:53 PM às 8:53 PM

    Oi boa noite!! Eu também sou uma AAC só que estou como temporário e gostaria de saber o que foi resolvido ou se já foi resolvido a respeito do que vão fazer com os contratados temporários? Desde já agradeço a compreensão.

  29. Andreia Marques quarta-feira, 5 dezembro 2012, 9:44 PM às 9:44 PM

    Ainda assim, vejo o Senhor mto preocupado e empenhado com o novo cargo que surgirá, no que me diz respeito a prioridae de qualquer regulamentação, PL, articulações políticas, deveria vir em primeiro lugar o cargo de Agente Auxiliar de Creche, estão nos renegando, inflingindo normas Federais, criando obstáculos para o nosso reconhecimento, e anda não o vi manifestando-se a favor de nossa categoria ou postando no seu blog, facebook, nenhuma indicação de que o nosso cargo mereça a sua atenção, se fui grosseira me desculpa, mas é a minha colocação.
    Agentes Auxiliares de Creche em primeiro lugar, depois pode vir outras colocações nomeações, claro desde que não venham esbarrar/atrapalhar o andamento do nosso cargo. Obrigada, Andreia.

  30. Maria Fernanda Vernes de Andrade quinta-feira, 6 dezembro 2012, 12:18 PM às 12:18 PM

    Vejo o Sr preocupado com a inclusão das crianças com deficiencia e venho até o senhor para colocar uma questão que me incomoda muitol: Em 2013 virá para a creche onde estou lotada Raízes do Salgueiro um novo aluno de cerca de 1 ano e meio , para o Berçário II , com paralisia cerebral , ele não anda , não fala e não senta , a creche não tem pessoal qualificado para dar suporte ao desenvolvimento desse aluno , Será designado uma auxiliar de creche para ficar exclusivamente com ele , mas ela não tem formação especifica para crianças com deficiencia . è formada em Pedagogia . Normalmente me preocupo com o bem estar das crianças e o objetivo da inclusão não está sendo respeitado . Acho que as pessoas responsáveis por ficar com essa criança devam ter apoio do municipio para se qualificar e quando expus a minha inquietação o comentário que ouvi foi: “Não sei porque vc esta reclamando , você nem vai ficar com ele” E absurdo um profissional que se diz da educação ter essa postura

  31. Alexander Martins quinta-feira, 6 dezembro 2012, 5:36 PM às 5:36 PM

    Acho ótimo que esse novo cargo que vai ser criado está sendo feito com cuidado e com atribuições bem demarcadas! Fico muito triste de ver que o meu cargo de AGENTE EDUCADOR, não teve o mesmo cuidado na definição das atribuições e ficamos reduzidos a “quebra-galhos” que fazem de tudo um muito!!! E sem esperança alguma de melhorar, muito lamentável! Até quando, Vereador? Até quando???

  32. Leona Gomes Graeter quinta-feira, 6 dezembro 2012, 8:20 PM às 8:20 PM

    compreendo as queixas de vcs;Mais Olhem para os porteiros escolares,largados a propia sorte,na chuva ,no sol não tem sequer direito de almoçar nas escolas,São os verdadeiros tapa buracos…lamento…

    • Enzo domingo, 9 dezembro 2012, 8:06 PM às 8:06 PM

      Sr Vereador Paulo Messina,
      Gostaria de fazer um apelo ao sr antes que algo lamentável aconteça nas escolas públicas.
      Constatei, juntamente com outros pais que exitem escolas que possuem um fluxo enorme de entrada e saída de automóveis e caminhões no horário em que os alunos estão presentes. O pior de tudo é que somente um portão é disponibilizado, não havendo outro para que possa fazer uma distinção par preservar os alunos. Desde o ano passado estamos reclamando, sem sucesso sobre esta prática nas escolas.
      Recentemente ficamos sabendo que os Inspetores e Porteiros Escolares foram capacitados pela Guarda municipal para garantir a segurança dos nossos filhos, mas de nada irá adiantar se os diretores das escolas não colaborarem.
      Temos acompanhados seu brilhante trabalho em beneficio da educação e por isso apelamos para sua ajuda, pois ninguém quer nos ouvir.Pelo visto, infelizmente. estão esperando alguma tragédia acontecer para tomarem uma atitude.
      Evitamos mencionar quais as escolas em que isso acontece por motivos de seguranças às crianças ,mas é só fazer um levantamento que verão a triste rotina de entra e sai de carros e caminhões nas escolas nos mesmos horários em que os alunos estão presentes.
      Temos certeza que isto não acontece no sede da prefeitura ou mesmos nas CRE’s, porém está acontecendo nas escolas, onde possuem um fluxo enorme de entrada e saída de alunos.
      Contamos com sua ajuda e colaboração.

      Desde já agradecemos.

  33. TATYBETA sexta-feira, 7 dezembro 2012, 7:00 AM às 7:00 AM

    VEREADOR E OS AGENTES EDUCADORES FICARAM ESQUECIDOS??? PRECISAMOS DE AJUDA ,OS PLANOS E AS VANTAGENS DEVEM SER IGUAIS PAR TODOS. UMA VERGONHA OSSO CARGO GANHAR MENOS QUE UM PISO SALARIAL. NOS AJUDE!!!!!

    • adriano terça-feira, 11 dezembro 2012, 5:56 PM às 5:56 PM

      CONCORDO PLENAMENTE… SERÁ QUE TODA A RESPONSABILIDADE QUE ASSUMIMOS É EM VÃO??? NÃO TEMOS DIREITO A PLANOS E VANTAGENS QUE OS DEMAIS TEM??? NÓS AGENTES EDUCADORES PRECISAMOS SER OUVIDOS… PRECISAMOS SER RECONHECIDOS…

  34. Alexander Martins sexta-feira, 7 dezembro 2012, 12:37 PM às 12:37 PM

    Comentário apagado???

  35. Adriana Mouta sexta-feira, 7 dezembro 2012, 10:28 PM às 10:28 PM

    Boa noite vereador! Sou AAC contratada e sou fisioterapeuta. Já cuidei de crianças especiais em muitos estágios que fiz e digo que vc está totalmente certo em suas colocações. Aliás, vc tem demonstrado que é uma pessoa muito sábia. Continue assim, não perca o foco e chegarás mais longe do que imaginas! Que Deus o abençoe cada vez mais, um forte abraço, Adriana.

  36. Celi Rosa sábado, 8 dezembro 2012, 12:20 AM às 12:20 AM

    Bom dia, Vereador Paulo Messina.

    Sou AAC e fico agradecida ao bom e maravilhoso Deus por ter sido adiada a votao do novo PL. Para a realizao do mesmo necessrio muitos estudos e eficincia nas atitudes a serem tomadas. Para que possa com certeza ter boas solues, beneficiar a todos os envolvidos direta e indiretamente e principalmente as crianas que, quer queira ou no so as mais prejudicadas. Contamos sempre com o teu apoio. Obrigada por tudo. Um otimo final e incio de semana para ti e famlia. Deus te abenoe!!!!!!!!!!!!!! celiorosa45@gmail.com

    > ** > Paulo Messina publicou: “Pessoal, Como vocs sabem, no meio de novembro > chegou Cmara o projeto de lei da Prefeitura que cria do cargo do Agente > de Apoio Educao (texto na ntegra aqui). Quando soube que iam mandar o > projeto, depois de tanto cobrarmos, comemorei” > Novo post em *Bl

  37. Álvaro da Conceição domingo, 9 dezembro 2012, 3:38 PM às 3:38 PM

    Não é confortável ver uma nova categoria funcional ser criada aos mesmos moldes que a minha (AGENTE EDUCADOR II) e que será submetida às mesmas arbitrariedades da direção e da SME as quais fomos e somos continuamente submetidos.

    Serão meros peões dentro de um tabuleiro no qual as peças que representam os funcionários de apoio estão sempre em xeque. Substituir o professor nos dias que eles faltarem, aplicar avaliações sozinho, ser responsabilizado pelo baixo rendimento de determinados alunos, ter de cuidar sozinho das crianças durante a merenda, ser office-boy de direção e “estagiário” de professor são só alguns dos inúmeros deveres absurdos aos quais esta nova classe será submetida.

    Nós AGENTES EDUCADORES sabemos o quanto é desestimulante trabalhar 8 horas diárias dando o melhor de nós para sermos além de bons inspetores, sermos também educadores, auxiliares de professor e de secretaria, recreador, porteiro, e mais recentemente após o ridículo curso oferecido pela SME, seguranças escolares sendo exigido de nós uma postura quase que militar com relação as pessoas que entram e saem das dependências físicas da unidade escolar.

    Um AGENTE EDUCADOR ou um AAC ganhando 1 salário mínimo chega a ser além de absurdo indigno. Espero com sinceridade que este novo cargo de AGENTE DE APOIO A EDUCAÇÃO não seja aprovado.

  38. lucia Lacerda segunda-feira, 10 dezembro 2012, 6:12 PM às 6:12 PM

    Acredito que se os governantes tiverem realmente um olhar sério para a questão inclusão, não colocará nenhum estágiário ou que titulo for sem que esta pessoa tenha formação especifica para a especificidade da criança que irá atender.
    Na realidade hoje o estagiário por mais boa vontade que tenha, não está preparado técnicamente para assumir a responsabilidade de cuidar de determinadas deficiências.
    inclusão não é colocar a criança em meio a tantas outras ditas “normais”, é na realidade buscar elementos para que estas possam caminhar com seus proprios pés, tomar suas decisões e buscar uma melhor qualidade de vida.

    precisamos de PROFISSIONAIS!

  39. Angélica Amaral Ribeiro Romão terça-feira, 11 dezembro 2012, 5:58 AM às 5:58 AM

    Acredito que elegemos alguem capacitado para continuar nossa luta, iniciamos de forma legal, humana e competente sem dexiar a desejar para nenhum professora atual. Fizemos um maravilhoso trabalho pedagógico, porém todo esse trabalho ficou esquecido, já não somos tanto valorizadas e o que pensamos em fazer não nos dá crédito perante a secretária. Estou certa de que meu voto, foi certo. Vamos juntos Paulo Messina!

  40. Alysson Pires quinta-feira, 20 dezembro 2012, 8:22 AM às 8:22 AM

    nós accs concursados/contratados contamos com o senhor

  41. Andressa sexta-feira, 21 dezembro 2012, 7:25 AM às 7:25 AM

    Vereador, não acredito que o ensino médio com modalidade normal seja suficiente para lhe dar com alunos especiais. Onde trabalho tem turma de especiais, e a professora, formada em pedagogia, não sabe certamente o que fazer. Usando de sinceridade, entendo o que se fala sobre a inclusão, mas penso que em escolas especializadas eles seriam melhores atendidos, pois a escola neste caso é assistencialista e sendo assim, só o ensino médio é suficiente, já que o normal não dá suporte algum para se trabalhar com especiais, falo isso com propriedade. Aconselho o vereador a pesquisar os cursos normais oferecidos, não falam absolutamente NADA sobre crianças especiais, aliais, o normal trata de maneira superficial TODAS as matérias pedagógicas. Todos queremos educação de qualidade, desta forma a formação de normal deveria ser extinta, ou somente ser aceita para os quadro de apoio como as Auxiliares de Creche.

  42. Bia sábado, 22 dezembro 2012, 9:10 AM às 9:10 AM

    Vereador Paulo Messina,uma coisa super ERRADA que acontece é tirar pessoas que já são EFETIVAS concursadas e que já estão adaptadas trabalhando em suas creches e por falta de profissionais,serem colocadas para trabalharem em outras creches, onde alegam faltar profissionais.A pessoa fica que nem marionete,trabalha aqui,faz ambiente,,já está acostumada e derrepente tem que ir pra outro lugar cobrir buraco.Sabemos que na verdade,não existe falta de funcionários,é só ver a quantidade de pessoas que passaram no concurso Aux de Creche e não foram chamadas…Por que então não fazem uma nova chamada de contrato deste banco e as colocam nos Edis ou Creches que estão sendo inaugurados ou que estão faltando profissionais?Já vi casos de pessoas efetivas que já trabalham anos em suas creches e derrepente são obrigadas a sair delas e ir para outras e assim suas creches ficarem com buracos.O profissional acaba indo para a outra infeliz e chateado,muitas vezes sendo até prejudicados financeiramente etc…
    Por favor,verifique isto também meu Vereador!Desde já agradeço imensamente.Abraços e um Feliz Natal!
    Ps:Torço pela efetivação dos concursados contratados,mas se tiver que mudar de creche para taparem supostos buracos,creio que eles que devem serem mandados. Não acha justo?

  43. Sandra martins cavalcante terça-feira, 25 dezembro 2012, 11:25 PM às 11:25 PM

    Boa noite!Sr vereador Paulo Messina,sou AAC concursada contratada e o meu contrato vence em fevereiro de 2013 e gostaria de saber o que foi resolvido a respeito da nossa situaçao pois ouço alguns comentários de que vâo renovar o nosso contrato.E a nossa efetivação tem chance?
    Desde já agradeço Sandra

  44. Jorge Henrique Cristiano da Costa domingo, 30 dezembro 2012, 6:23 PM às 6:23 PM

    Gostaria, como Professor da SME/RJ, tendo duas matrículas nessa Secretaria,Mestrado na área de Língua Portuguesa e me sentindo desvalorizado com o salário pago pela Prefeitura e a ausência de um Plano de Carreira que valorize o docente pelo tempo de serviço, com interstício de 12 a 15 por cento(como ocorre no Estado) e pela aquisição de títulos(Epecialização, 15%, Mestrado 25% e Doutorado, 30 a 40%). Só dessa forma iremos, Prezado Vereador reeleito Paulo Messina, recuperar a valorização que outrora tivemos e iremos chegar, por exemplo ao nível salaril de Prefeituras como Nova Iguaçu, Duque de Caxias e Angra dos Reis, que por mais importante que sejam para nosso Estado, num têm a importância com que nosso município contribui para a Educação brasileira, tendo, pois, a maior rede escolar da América latina. Precisamos ser valorizados e contamos com seu apoio nesse briga!!

  45. Jorge Henrique Cristiano da Costa domingo, 30 dezembro 2012, 6:26 PM às 6:26 PM

    Gostaria, como Professor da SME/RJ, tendo duas matrículas nessa Secretaria,Mestrado na área de Língua Portuguesa e me sentindo desvalorizado com o salário pago pela Prefeitura e com a ausência de um Plano de Carreira que valorize o docente pelo tempo de serviço, como, por exemplo,um interstício de 12 a 15 por cento(como ocorre no Estado) e pela aquisição de títulos(Especialização, 15%, Mestrado, 25% e Doutorado, 30 a 40%). Só dessa forma iremos, Prezado Vereador reeleito Paulo Messina, recuperar a valorização que outrora tivemos e iremos chegar, por exemplo ao nível salarial de Prefeituras como Nova Iguaçu, Duque de Caxias e Angra dos Reis, que por mais importantes que sejam para nosso Estado, não têm a importância com que nosso município contribui para a Educação brasileira, tendo, pois, a maior rede escolar da América Latina. Precisamos ser valorizados e contamos com seu apoio nesse briga!!

  46. Francisco de Assis sexta-feira, 4 janeiro 2013, 10:19 AM às 10:19 AM

    Caro Mesina,
    Desejo se tem alguma novidade para os agentes auxiliares de creche

  47. Ana Lúcia Ferreira Feitosa domingo, 13 janeiro 2013, 4:19 PM às 4:19 PM

    Boa tarde!
    Gostaria de saber se os Ages. Auxs. de Creche contratados(concursados) serão mesmo efetivados?
    Obrigada!
    Ana Lúcia.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: