A Ameaça do Bondinho do Pão de Açúcar no Leme

Pessoal,

Uma proposta da Companhia Caminho Aéreo Pão de Açúcar (CCAPA) de criar a expansão do bondinho até o Leme vem assustando ambientalistas e moradores do bairro.

Os impactos urbanos e ambientais são claros, e devem ser vistos como decisivos para se impedir esta expansão.

Por este motivo, criei o Projeto de Lei 41/2013, cuja justificativa darei a seguir. (Clique aqui para conhecer o texto do projeto).

paodeacucar

Primeiro, em relação ao trânsito no bairro. Quem conhece, quem vai ao Leme num simples domingo de sol, sabe que é impraticável se ter mais carros com destino ao bairro, que dirá ônibus de turismo e vans que dêem vazão a 7 mil turistas por dia de alta estação. Já estamos no limite da capacidade de mobilidade interna dos bairros envolvidos (Botafogo, Urca e Leme) e a qualidade de vida dos moradores seria bastante prejudicada.

É fácil assumir que o turista que se encontra nos hotéis de Copacabana, Ipanema e Leblon não irão até a Urca para pegar o bondinho, já que haverá uma estação mais próxima para subida.

Quanto ao impacto ambiental, a história é igualmente ruim. A região dos morros do Leme, Babilônia e São João são áreas de proteção ambiental (APA), legalmente constituídas, e onde deveria existir inclusive uma unidade de conservação, provavelmente um Parque Natural Municipal.

Assim se manifestou o conselho gestor das APAs, pelo comunicado de seu presidente, o técnico e servidor de carreira de nosso município Celso Junius Ferreira Santos, que tem em seu currículo público importantes conquistas na defesa do meio ambiente, a exemplo dos mutirões de reflorestamento.

Em seu parecer, o Conselho é claro em colocar como justificativa contrária à expansão, entre vários outros itens, quatro exemplos a seguir:

“Considerando o impacto ambiental causado pelo recorrente vazamento de esgoto que escorre da estação do Morro da Urca, pela encosta rochosa e sua vegetação, chegando à Pista Cláudio Coutinho e daí poluindo a Praia Vermelha, sem lhe ser dada solução;

Considerando o impacto ambiental causado pela queda de graxa dos cabos do bondinho, nas encostas do Pão de Açúcar, e também pelo lixo jogado pelos usuários do Morro da Urca, sem lhes ser dada solução;

Considerando que a Companhia Caminho Aéreo planeja colocar uma estação de acesso ao público na Praça Júlio de Noronha, que é utilizada pela Escola Municipal Santo Tomás de Aquino e também intensamente pela comunidade do bairro, como: feira livre, lazer, academia da 3ª idade;

Considerando que o impacto ambiental causado pela construção de duas estações de teleférico no topo do Morro do Leme (para receberem as linhas Praça Júlio de Noronha – Morro do Leme e Morro do Leme – Morro da Urca) seria grande sobre o ecossistema das áreas abrangidas pelo Projeto de Reflorestamento e Conservação Ambiental, que vem sendo desenvolvido no local, desde 1987”.

Isto foi em novembro do ano passado. Mas houve parecer anterior a este, também contrário, do Conselho Municipal de Meio Ambiente, dado em 1998 e com teor claro para orientar o prefeito à época não conceder a licença de expansão.

Por todos estes motivos, visando o meio ambiente e a qualidade de vida de nossos cidadãos, pretendo aprovar este projeto proibindo definitivamente estas investidas expansionistas.

Abraços,
Paulo Messina

10 pensamentos sobre “A Ameaça do Bondinho do Pão de Açúcar no Leme

  1. José Omar Duarte Ventura quarta-feira, 20 março 2013, 6:01 PM às 6:01 PM

    Uma ação justa, racional e feliz para a Cidade, principalmente para Copacabana/Leme!
    Ressalta-se o conteúdo técnnico da iniciativa proposta e a competência dos argumentos apresentados.

  2. Luiza quarta-feira, 20 março 2013, 7:07 PM às 7:07 PM

    Eu compreendo a preocupação mas hpa que se informar que o trajeto inicial do bondinho incluía uma terceira estação, e ao que tudo indica não haverá embarque ou desembarque no leme, tudo continuaria na praia vermelha, não vejo porque tamanha preocupação.

    • Paulo Messina quarta-feira, 20 março 2013, 7:10 PM às 7:10 PM

      Olá Luiza! Obrigado pelo comentário. Na verdade, o projeto inclui sim uma estação no Leme, na praça Júlio de Noronha, para subida/descida de passageiros. Abraços!

  3. JANY GASPAR quarta-feira, 20 março 2013, 7:17 PM às 7:17 PM

    BOA NOITE VEREADOR,ESTAMOS MOBILIZADOS E APOIAMOS TODAS AS SUAS METAS E LUTAS.EU E MUITAS COMPANHEIRAS, PROFESSORAS, ESTAMOS PRECISANDO DE SEU APOIO TAMBM.ISSO PORQUE, ESTAMOS LUTANDO PARA TER O RECONHECIMENTO DE NOSSO TRABALHO, NO QUE TANGE A REMUNERAO. POIS SOMOS CONCURSADAS PARA 40 HORAS PII, MAS TEMOS GRADUAO, QUE FORA EXIGIDO NO ATO DA INVESTIDURA,E GOSTARAMOS DE UMA EQUIPARAO SALARIAL COM OS PROFESSORES PI.AT PORQUE, TRABALHAMOS COM CARGA HORRIA MAIOR DO QUE ESTE GRUPO E FAZEMOS PARTE DO LEQUE QUE D TODO PREPARO AOS ALUNOS QUE IRO PARA O SEGUNDO SEGMENTO DO ENSINO FUNDAMENTAL, SEM FALAR QUE TAMBM SOMOS GRADUADOS, E AT PS GRADUADOS COMO O MEU CASO. DESTA FORMA NECESSITAMOS DE ESTAR MAIS TRANQUILOS EM RELAO A ESSE ASSUNTO, VISTO QUE DESTA FORMA NO NECESSITAREMOS ESTAR INDO PARA OUTRAS ESCOLAS NO NOTURNO COMPLEMENTAR NOSSA RENDA, PODENDO DAR MAIS ATENO AOS NOSSOS ALUNOS E FAMILIARES, POIS ESTAREMOS MAIS DESCANSADOS, UMA VEZ QUE NOSSO TRABALHO NECESSITA DE GRANDE EMPENHO E CRIATIVIDADE, ATENO E PACINCIA. TRABALHAMOS COM CRIANAS DE MUITAS COMUNIDADES TOMADAS PELA VIOLNCIA, PELO TRAFICO E PELA FALTA DE ESTRUTURA FAMILIAR E DE VALORES ESSENCIAIS A UMA FORMAO DE CIDADO FELIZ E HONESTO. E POR MUITAS E MILHARES DE VEZES, NS FICAMOS ENCARREGADOS DE ESTAR AT MESMO FAZENDO A PARTE DA FAMLIA NESSA FORMAO.CONTUDO, TRABALHAMOS COM ESPERANA DE MELHOR QUALIDADE DE TRABALHO E DE APOIO NOSSA CAUSA. ATT. Date: Wed, 20 Mar 2013 20:46:45 +0000 To: janaina_souza2008@hotmail.com

  4. Vilma quinta-feira, 21 março 2013, 11:43 AM às 11:43 AM

    Por que Zona Sul sempre primordialmente em pauta? Temos necessidade TAMBÉM de ações de defesa do meio ambiente na Zona Oeste…

  5. Silma Maria Moreira quinta-feira, 21 março 2013, 3:56 PM às 3:56 PM

    chega de tirar do povo o seu direito de gente, de viver dignamente,chega de dar ao povo so porrada tirando de nós o lazer, a educaçao, o direito a ir e vir com dignidade, so p beneficiar meia duzia de privilegiados, concordo contigo. BASTA.
    ps:aki na minha rua é um ex.do poder do dinheiro, tiraram uma feira livre que tinha mais de 50a só aki na r.dos Artistas , p.beneficio de meia duzia de restaurantes….fora o abuso na rua qdo se quer entrar na rua nao pode, carros estacionados em todo lugar, mesas e cadeiras nas calcadas forçando o pedestre a andar na rua…enfim se eu for enumerar todos os abusos eu vou ficar aki ate amanha…pronto falei.obg.

  6. denir serafim quinta-feira, 21 março 2013, 9:14 PM às 9:14 PM

    a visao de vcs todos nao leva em conta o turista… sera que o bairro, o praia, o morro são de propriedade unicamente de vsas. senhorias???? como turista tbm me sinto dono de toda essa beleza e acho muito interessante uma expansão do teleferico oferecendo mais uma opção de passeio…

    • Maria quinta-feira, 21 março 2013, 11:48 PM às 11:48 PM

      sr turista,
      já existe uma opçao de passeio, uma trilha de fácil acesso, mantida há mais de vinte anos com trabalho de conservaçao ambiental de fauna e flora com uma vista esplêndida do mar de Copacabana e baía de Guanabara. De graça!!!!

  7. Patrícia quarta-feira, 3 abril 2013, 12:47 PM às 12:47 PM

    Muito bem colocado, Maria! Acrescento que além do que você disse, o acesso hoje tem o singelo preço de 4 reais, cobrado pelo Exército. Enquanto isso o turista que visita o Pão de Açúcar paga 53 reais. Tem muito carioca que nem conhece este ponto turístico de sua cidade. O acesso ao Morro do Leme é democrático também porque dá isenção a idosos, escolas públicas e outros grupos. Vereador Paulo Messina, agradecemos a sua ajuda ao movimento Salvem o Leme, criado por entidades da sociedade civil, que desde 1998 luta para evitar que este projeto absurdo seja implementado no bairro do Leme.

  8. Gabriella segunda-feira, 8 abril 2013, 6:44 PM às 6:44 PM

    Boa Noite Paulo,
    estou fazendo uma pesquisa para um artigo sobre a possível implantação da terceira linha do teleférico e gostaria de fazer uma entrevista com você e ter acesso aos documentos produzidos até o momento, seria possível??

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: