A Aplicação do Fundeb no Rio

Caro Servidor Municipal da Educação,

Peço que leia com atenção esse artigo. Escrevo porque confio no seu pensamento crítico e sua capacidade independente de formar sua própria opinião, até pela sua formação e vocação.

Eu não entrei na política para fazer um mandato denuncista, de mídia, de agenda negativa.

Especialmente voltei agora neste segundo mandato para lutar e conquistar todos os benefícios possíveis – e até alguns que diziam ser impossíveis – para todas as categorias da Educação.

Não se conquista tudo que conquistamos e que ainda vamos conquistar com confronto, com belicosidade. É a agenda positiva de conflito de idéias – diferente de confronto – que constrói.

fundeb

Nesses dias, fiquei diante de uma escolha importante: Assinar ou não assinar a CPI do Fundeb, que está sendo proposta pelo vereador Renato Cinco (PSOL).

Exemplos importantes de como faço meus trabalhos, sempre discutindo e dialogando, são conquistas como (clique nos links para relembrar): a permanência no município do Rio das classes e escolas especiais, a redistribuição da carga horária dos auxiliares de creche, o aumento das vagas de agentes educadores II (inspetores), o diagnóstico precoce de autismo nas creches, a criação do cargo público de secretário escolar, o não fechamento das escolas do sambódromo, o decreto isentando de biometria quem já tem uma matrícula, a possibilidade de recurso nas provas práticas de concursos, entre tantos e tantos outros.

Um provérbio chinês diz que “sem a oposição do vento, a pipa não sobre”. E é esse o método que uso para me opor: o de propor. Não tenho uma visão maniqueísta do mundo em que a oposição radical é o bem e o governo é o mal. O importante é fazer o meu trabalho buscando melhorias aos servidores, entendendo a cada momento os motivos destes dois, e dos demais vários lados do jogo político.

Neste segundo mandato, conseguimos fazer um GT em março/2013 com SME e Codespe, através do qual revisamos toda a educação infantil no Rio de Janeiro. Os auxiliares de creche terão a formação mínima de professores (médio/normal) e quase triplicarão seus salários (200% de aumento). Os PEIs poderão ir para 40 horas, também aumentando e igualando os salários aos PII 40, que por sua vez serão igualados ao PI (todos que tiverem licenciatura). Tudo isso já foi fechado em Maio e anunciado amplamente às categorias nas reuniões por CRE que fiz pessoalmente entre 22 e 31 de maio/2013.

Sem esquecer da reforma do projeto do Agente de Apoio à Educação, agora totalmente voltado para mediação escolar de alunos com deficiência e a equiparação salarial do PII 40 (com licenciatura) ao PI, que foi anunciada oficialmente em audiência pública de 18 de junho/2013, este último fruto da luta da categoria organizada.

Ainda falta? Muito. O PII 22:30 recebe 9 reais por hora. É absurdo e desumano, especialmente se você considerar que ele pode ter a graduação e estará muito defasado em relação ao PII 40. E o Agente Educador II, que na prática faz o trabalho do inspetor de alunos, e recebe um salário mínimo para se responsabilizar por 400 crianças? E o secretário escolar, que ainda não conseguiu sua gratificação? Merendeiras, que na verdade são cozinheiras? E diretores de escola, que se estivessem numa dupla regência estariam ganhando mais e se aborrecendo menos? E a própria existência da DR? Enfim, poderia aqui escrever páginas e páginas sobre os problemas que ainda temos pela frente.

Mas esse é o ponto. Eu quero resolver. E tenho minhas estratégias, não peço para que todos concordem, mas que compreendam meus motivos.

O objetivo de uma CPI é investigar atos ilegais, dado um fato determinado.

Sobre os recursos na soma de milhões de reais em avaliações externas e compra de jogos, o vereador tem a obrigação de fiscalizar o executivo. E não vou me furtar disso, como nunca me furtei. Mas a CPI é o último recurso quando não se têm os esclarecimentos solicitados ou quando há fato determinado de ilegalidade. Mas o requerimento de informações e audiências são exemplos de instrumentos corretos para fiscalização, de forma construtiva, que exigirá correções. CPI é para investigar e punir, e é usada depois de se fiscalizar e encontrar fato de ilegalidade, instaurando-se aí sim o inquérito.

Além disso tudo, você vai acreditar que esta CPI terá composição e destino diferentes da CPI dos Ônibus – que mesmo tendo muito mais apelo e pressão de mídia, foi composta com a maioria do governo, e o PSOL pediu para sair alegando “não querer ser recheio de Pizza”? Então pergunto: Antes de se mudarem as regras do regimento interno da Câmara, que trata da composição de comissões, qual é a efetividade? Vai solucionar o quê?

Não estou do lado do governo, mas também não estou ao lado de extremismo e rompimento de diálogo. Estou do lado do profissional da Educação que quer melhorias para sua vida e não ficar sendo usado como motivo político para guerra. Cada servidor para mim representa uma família trabalhadora que precisa de reconhecimento – e isso lhe é devido! Aliás, abro aqui um parêntesis, a briga não é só por remuneração, mas condições de trabalho – que incluem a parte pedagógica. Teria sido para mim uma grande decepção se os profissionais tivessem aceito o fim da greve sem discutir a parte pedagógica.

O ponto mais importante do Fundeb é a aplicação de pelo menos 60% dos seus recursos na remuneração dos profissionais da Educação. Segundo informações, apenas 47,17% tinham sido usados no primeiro semestre deste ano.

Vou trabalhar principalmente com esse dado nas mesas de negociações com o Grupo de Trabalho para revisão do plano de cargos e salários unificado da Educação. Se há dinheiro para usarmos para os salários dos servidores, vou lutar para usar – e vamos conseguir.

Faltam poucas semanas para o Plano de Cargos ficar pronto. O caminho nessa altura é o confronto e uma CPI? Ou a mesa de negociações? O que vai realmente mudar a sua vida, servidor?

Nunca deixei de combater o bom combate, como por exemplo ir contra o projeto de lei 1565/2012, que iria criar uma nova categoria (Agente de Apoio à Educação) para ser o novo “bombril” da rede, das creches aos laboratórios, e apenas com nível médio. Conseguimos, com diálogo e negociação, fazer preciosas emendas e focá-lo apenas na mediação escolar. Outro exemplo é quando, do plenário da Câmara e artigos aqui no blog, critiquei duramente a SME por querer colocar novamente na rua um concurso para auxiliar de creche apenas com nível fundamental. Concordaram em suspender o concurso e revisar a escolaridade.

Sempre no campo das idéias, no conflito construtivo, e não no combate destrutivo.

Se o novo plano de cargos que ficará pronto em 15 dias não representar a utilização acima do mínimo do Fundeb nas remunerações de todos os profissionais da Educação; se as conquistas já negociadas com as categorias desde maio não se concretizarem ainda este mês; se houver fato determinado de ilegalidade na gestão do dinheiro público; esta CPI terá meu apoio. E apenas por motivo técnico, e para beneficiar os servidores, por quem estou aqui nesta casa de leis.

Mas por motivo meramente político, como é agora, para fazer o jogo de confronto entre oposição e governo, sindicato e empregador, enchendo os profissionais com falsas esperanças quixotescas, embarcando numa canoa furada e abandonando todas as negociações que fizemos para beneficiar a Educação, não terá o meu apoio.

Como legislador, já tenho um projeto de emenda à Lei orgânica desde 2009, e já propus ontem um novo projeto de lei em caráter de urgência vinculando o mínimo de 60% do recurso do Fundeb para remuneração dos servidores da educação – o que já existe na Lei Federal, mas incluindo penalidade para Prefeitura em caso de descumprimento.

Fui eleito pela votação majoritariamente de profissionais da Educação, e vou seguir em frente na luta pela melhoria das condições de trabalho de todos. Então, não é só por paixão, mas também meu dever.

Política do apocalipse não constrói nada, não muda a vida de ninguém, e não tem o meu apoio. Não recrimino o vereador que está propondo a CPI! Cada um defende o que acredita. E sei que ele está buscando defender o sindicato que não teve diálogo para buscar as respostas às dúvidas do requerimento.

Agradeço a paciência de ter lido até aqui essa carta-desabafo, de coração aberto e com toda sinceridade expressei não só o que sinto: falei com todas as letras sobre o que acredito. Agora cabe a você olhar para todos os atores envolvidos nessa novela e tirar suas próprias conclusões sobre a motivação de cada um.

Abraços,
Paulo Messina

50 pensamentos sobre “A Aplicação do Fundeb no Rio

  1. Muriel Albuquerque Nobrega quinta-feira, 5 setembro 2013, 8:58 PM às 8:58 PM

    Sensato!!!!

  2. sandra cristina quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:00 PM às 9:00 PM

    Vc tem meu total apoio, confio e acredito em suas idéias, vc tem me dado motivos de sobra pra acreditar na veracidade de suas ações. Se prepare vereador… sabe que muitos virão como rolo compressor pra tentar te exterminar pela negativa desse voto, mas consigo enxergar seus motivos e saiba que suas atitudes, sua postura me faz acreditar e dar credito total a vc.

  3. adriana brasil quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:00 PM às 9:00 PM

    COM CERTEZA MESSINA ,NESTE MOMENTO DEVE TER DISCERNIMENTO E NÃO ROMPER COM UM CANAL DE DIÁLOGO QUE VC TEM ,O MOMENTO AGORA É DE CENTRAR AS FORÇAS EM PROL DO SERVIDOR E DA EDUCAÇÃO !!!ENTENDI O SEU POSICIONAMENTO ……….

  4. Carla Mota quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:15 PM às 9:15 PM

    Acredito que a transparência faça parte da luta por uma educação responsável, portanto, pedir a CPI do FUNDEB é cumprir com o papel de fiscalizador e este ato é construtivo e democrático. Não vejo os embates políticos como arenas fáceis, entretanto, este é o papel do político, ou seja, o bom combate com transparência!

  5. Elzimar Caldas quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:27 PM às 9:27 PM

    Eu sou Messinete e acredito no meu vereador!

  6. Sonia Silveira quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:29 PM às 9:29 PM

    ADMIRO SEU TRABALHO E DETERMINAÇÃO EM MUDAR SITUAÇÕES DE INJUSTIÇA NA EDUCAÇÃO, ONDE AUXILIARES DE CRECHE DO RIO DE JANEIRO, COM SEU APOIO, OBTIVERAM CONQUISTAS.
    EU E MAIS 18 AUXILIARES DAQUI DA CIDADE DE MIGUEL PEREIRA TAMBÉM ESTAMOS BUSCANDO JUSTIÇA SALARIAL E O ENQUADRAMENTO COMO PROFESSORAS, VISTO QUE NOS FORMAMOS PROFESSORAS PELO CURSO PROINFANTIL E ATÉ HOJE NÃO VIMOS NENHUMA MUDANÇA.
    APOIO TODAS AS SUAS INICIATIVAS E SÓ TENHO QUE LHE DAR OS MEUS PARABÉNS !!!!

  7. angela quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:38 PM às 9:38 PM

    Parabéns,
    Vereador , o Senhor demonstra estar empenhado de fato pela Educação e pelas muitas lutas dos profissionais da Educação, e eu falo como PII40hs e já estou há 18 anos na Rede Municipal e 27 como educadora . Agradeço a sua dedicação , pois sei quo essa jornada de lutas é árdua, mas vale a pena. ANGELAHYRESA05/09/2013

  8. marta quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:50 PM às 9:50 PM

    acredito em cada palavras que você descreveu e confio no seu trabalho, agora o mais importante é a votação da nossa Pl (AACs)!

  9. Érica Videira quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:59 PM às 9:59 PM

    Confio em você, Messina! Se não assinou tem os seus motivos, e cabe a nós entendê-los.
    Eu entendi. Foi perfeito em seu argumentos, continue assim transparente!

  10. Katia Abrahão quinta-feira, 5 setembro 2013, 9:59 PM às 9:59 PM

    Olá Messina, concordo que tudo deve ser bem avaliado, porém, espero que vc esteja aberto para repensar sobre o assunto. Sou professora do RJ e gostaria muito de receber o FUNDEB no meu salário, assim como recebo no município de Duque de Caxias. Logo no início, assisti a comerciais que falavam do antigo FUNDEF, fiquei muito contente pois na propaganda ouvia “Fundo de valoriZação do magistério” teria o meu salário aumentado. Pena, foi propaganda enganosa, pelo menos aqui no Rio, Sou moradora da cidade do RJ e não vou trabalhar em D.Caxias porque gosto do trânsito diário. Mas, só dessa forma, enfrentando o vai e volta, com muita luta é que consigo algum tostão a mais. Soube que o prefeito não tira nosso salário dos cofres do município, ele dispõe apenas de uma porcentagem e complementa com o dinheiro do FUNDEB. Não era essa a proposta! Gostaria de poder contar com o seu voto para que a CPI fosse instaurada. Esse abono deveria estar no meu salário, espero por ele a anos!

  11. maris lucia talon quinta-feira, 5 setembro 2013, 10:02 PM às 10:02 PM

    Messina, participei de algumas reuniões em seu período de campanha na casa de Carla. Seu discurso , em meu ver, sempre coerente e com im grau d veracidade. Espero de coração que vc esteja conosco nessa luta que não está nada fácil. Estamos pedindo socorro p Educação. Mesmo longe d sala de aula não deixei os meus alunos abandonados. Através do face tenho dado aula e tenho procurado dialogar com pais dos meus alunos procurando esclarecer os motivos de nossa greve

    Amo o que faço e procuro o melhor p os meus alunos. Estou na luta por acreditar que e o momento de transformar o rumo d nossa educação. Amanhã estarei no ato em frente d prefeitura e levarei país e alunos d minha turma p juntos lutarmos por uma Educação de qualidade. Nesse momento temos que unir força e espero que vc seja mais um guerreiro nessa luta. Obrigada!

  12. Paulo Marcelo montesanto quinta-feira, 5 setembro 2013, 10:34 PM às 10:34 PM

    Vereador, espero sinceramente que esteja ao nosso lado, pis precisamos de pessoas coerentes e fores nesta luta.

  13. Marcio Vieira quinta-feira, 5 setembro 2013, 10:44 PM às 10:44 PM

    O SEPE de Duque de Caxias luta para incorporar o FUNDEB ao salário e o SEPE do Rio luta para descriminar o FUNDEB do salário. Sou professor das duas redes. Queria entender isso!!!!

  14. Alba Cristian Costa Silva quinta-feira, 5 setembro 2013, 10:51 PM às 10:51 PM

    Caro vereador, o senhor q se elegeu com uma boa parcela de votos de educadores e como membro da comissão de educação e cultura,deveria ser o primeiro a questionar onde a verba do Fundeb vinha sendo aplicada,pois indícios de irregularidade existem,tanto q o Mp está investigando,mas ao contrário disso,o sr. além de não ter tomado essa iniciativa,ainda afirma q isso trata-se de uma guerra política. Mas não,essa não é uma guerra política,é uma guerra p/ q cumpra-se a lei, e o q ela determina é q 60% do Fundeb deve ser destinado ao pagamento dos professores.E onde esse dinheiro vinha sendo aplicado até então? Em jogos de banco imobiliário? Em pagamento a empresários de ônibus? Isso não merece uma investigação? Essa não é uma das principais funções do poder legislativo?

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 10:54 AM às 10:54 AM

      Sim Alba, por isso assinei a CPI dos Ônibus em relação ao repasse de verbas às empresas de ônibus. Quanto aos 60%, parte mais importante para mim, não vou medir esforços para aprovar a lei municipal nas próximas semanas, e aguarde aqui a publicação de um artigo na semana que vem detalhando os recursos do fundeb, e negociando as soluções, coisas que só serão possíveis porque trabalharemos os debates na mesa de negociações e não no campo de batalha política. Uma CPI agora é a Panaceia dos problemas da Educação?

  15. Rosa Maria quinta-feira, 5 setembro 2013, 10:56 PM às 10:56 PM

    Perfeito sua colocação!!!!!

  16. Juliana Rodrigues quinta-feira, 5 setembro 2013, 11:00 PM às 11:00 PM

    Messina, boa noite. Suas palavras sao coerentes e nos da Educacao precisamos acreditar e termos esperancas, assim como trabalhamos isso com nossos alunos. No atual momento minha,unica esperanca e voce e sua equipe e aliados para conseguirmos mudancas no cenario atual. Agradeco pela greve, pois assim tive o prazer de conhecer e ler sobre sua tragetoria profissional e ter esperancas que existem politicos honestos e que realmente trabalham pelo bem do povo. Voce e o meu candidato sempre.

  17. José Omar Duarte Ventura quinta-feira, 5 setembro 2013, 11:00 PM às 11:00 PM

    Realista e coerente com o momento em que estamos vivendo.Visão equilibrada e inteligente!

  18. Sheyla Mattos quinta-feira, 5 setembro 2013, 11:11 PM às 11:11 PM

    Caro Messina,

    Sou Agente Educadora II, gostaria de saber qual a resoluo que determina quem fica na sala de aula caso o professor falte, se vc puder me passar essa inforrmao seria de grande utilidade pra mim.

    Obrigada Sheyla Mattos

  19. Flavia Lessa quinta-feira, 5 setembro 2013, 11:22 PM às 11:22 PM

    Vereador, se formos utilizar o discurso de que a CPI do FUNDEB poderá “terminar em pizza”, nada nunca vai mudar nesse país. Tal discurso não combina com o momento que vivemos em nossa cidade e em nosso país, em que a sociedade se expõe em diversas manifestações em repúdio a tudo que vivemos durante anos. Nós, professores do Rio, que estamos em luta, esperamos poder contar com seu apoio. Respeito sua posição, mas torço para que seja revista.
    Abraços

  20. Ana Maria Oliveira (@crechecasael) quinta-feira, 5 setembro 2013, 11:27 PM às 11:27 PM

    Paulo Messina como sempre muito sensato. Continuo acreditando em vc e entendi perfeitamente o seu posicionamento em relação a tudo isso.

  21. Suian Freitas Medeiros sexta-feira, 6 setembro 2013, 8:12 AM às 8:12 AM

    Eu sabia que você tinha seus motivos para não assinar a CPI do Fundeb. Quero deixar aqui todo o meu apoio, e que acredito na sua honestidade e sei que você é um Homem de palavra. Um grande abraço, e até o dia 18/09!

  22. Analice Tenório sexta-feira, 6 setembro 2013, 8:39 AM às 8:39 AM

    Isso tudo para dizer que não é a favor da CPI da Educação? Afinal o senhor sabe para onde vai a verba desse FUNDEB? Eu sou professora de uma escola construída para durar 10 anos e já tem 20. Caindo aos pedaços bem ao lado da 10ª CRE. Salas quentes e lotadas. Creio que se o caro vereador estivesse dentro das salas de aula, com turmas grandes e alunos com necessidades especiais, sem o devido atendimento, pensaria bem melhor. Quanto a todas as conquistas, o senhor só fez seu trabalho, para isso foi eleito.
    Quando um aluno meu vai bem, aprendeu o que ensinei, eu fiz bem o trabalho que me foi confiado!

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 10:49 AM às 10:49 AM

      Analice, é sério que você acredita que uma CPI será a Panaceia dos problemas da Educação? Custa muito suor, sola de sapato e saliva mudar as coisas, e sua luta é a mesma que a minha.

  23. Daniele Rezende sexta-feira, 6 setembro 2013, 9:34 AM às 9:34 AM

    Paulo, sempre soube que você estava tomando a decisão certa. Como sempre suas atitudes são sensatas e em benefício do Servidor. Como ja disse antes, tens todo o meu apoio e minha admiração! Um beijo!!

  24. valeria sexta-feira, 6 setembro 2013, 9:54 AM às 9:54 AM

    Paulo Messina, voce é um político íntegro, transparente e ético com suas convicções. Já sou bem madura para saber que é um político de caráter. Eu sempre votei em uma deputada estadual, e digo nunca me arrependi, pois a mesma é íntegra com suas ideias em favor dos seus eleitores ou não. Agora tenho meus motivos para acreditar em um vereador que busca com veracidade, sabedoria e justiça naquilo que se propôs a defender. Já são 2 eleições acreditando no meu voto, sem em nenhum momento de arrependimento. Não me preocupou nem um pouco quando li que o nobre vereador não votou a favor da CPI do FUNDEB. Me perguntei algum motivo ele teve e com certeza ele vai dar uma explicação . Então vou confirmar mais uma vez a minha admiração pelo senhor, eu acredito naquilo que defendo e naquilo que o senhor defende.

  25. Tânia Moraes sexta-feira, 6 setembro 2013, 10:36 AM às 10:36 AM

    Concordo plenamente com as afirmações da colega Alba. O que mais falta para a demonstração de ilegalidade no uso dos recursos do Fundeb??? Independentemente dos avanços ocorridos e das iniciativas propostas, na verdade, desengavetadas, como exemplo, o Plano de Cargos e Salários, o que a CPI propõe é a investigação do desvio dessa verba.
    Sou servidora há vinte e oito anos, todo esse tempo como regente de turma, a desvalorização do magistério municipal está exposta em meu contra-ataque. Anos de dedicação por uma mísera remuneração.
    Caro, Paulo Messina, estou em vias de me aposentar e gostaria que esse momento viesse repleto de realizações, de vitórias, de DIGNIDADE.
    como cidadã, exijo a aplicação de, no mínimo, 60% do Fundeb na remuneração dos profissionais da Educação. Conto com seu apoio para fazer valer nosso direitos.
    Cordialmente,
    Tânia Moraes

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 10:47 AM às 10:47 AM

      Tânia, conte comigo, por isso não vou medir esforços em aprovar a lei municipal correspondente para esse fim. Prefiro apostar minhas fichas na agenda positiva, do que partir para o encerramento do diálogo. Abraços!

  26. manoela sexta-feira, 6 setembro 2013, 10:39 AM às 10:39 AM

    Bom argumento.
    O sr tem acompanhado os investimentos realizados pela prefeitura na educação? (visto que compõe a comissão de educação e cultura da câmara).
    Se acompanha, já tomou ciência do relatório final do TCM… E, consequentemente também está ciente do conteúdo investigado nos 5 inquéritos civis existentes no MPE e outros no MPF sobre o FUNDEB.
    Logo, acreditando na seriedade como osr conduz seu mandato, aguardo por sua resposta quanto a análise dos referidos inquéritos e sobre o relatório final do TCM. Att. Professora Manoela.

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 10:46 AM às 10:46 AM

      Manoela, minha maior preocupação com o Fundeb é sua aplicação no salário dos profissionais da Educação, e farei a fiscalização e o acompanhamento das verbas aplicadas, tenha certeza disso. Fique com minha promessa de fazer na semana que vem um artigo contendo as planilhas de cada centavo aplicado do Fundeb no Rio, para que possamos cobrar juntos a solução. Vamos conseguir esses dados e essa cobrança para correção na mesa de negociações, e não num campo de batalha política. Abraços!

  27. Margarida Avelar sexta-feira, 6 setembro 2013, 11:30 AM às 11:30 AM

    Como membro da base governista, membro da Comissão da Educação da Câmara e como amigo pessoal do prefeito Eduardo Paes, caro vereador, todas as ações e atitudes relacionadas aos funcionários são do seu conhecimento e recebem o seu apoio.
    Os problemas “que temos pela frente” são problemas que vem sendo mantidos pela administração municipal, como é do conhecimento de todos, não sendo, absolutamente, fatos novos !

    Quer dizer, conforme sua afirmação no parágrafo 14,
    “que você vai acreditar que esta CPI terá composição e destino diferentes da CPI dos Ônibus – que mesmo tendo muito mais apelo e pressão de mídia, foi composta com a maioria do governo, e o PSOL pediu para sair alegando “não querer ser recheio de Pizza”? Então pergunto: Antes de se mudarem as regras do regimento interno da Câmara, que trata da composição de comissões, qual é a efetividade? Vai solucionar o quê? ”

    Baseada na análise cuidadosa do seu texto, entendi o seu posicionamento, totalmente coerente como membro da base “eduardiana” :
    – Contrário à CPI até que se mude o regimento interno, coisa que só a base da qual faz parte, que apoia o prefeito poderia faze-lo.
    – O movimento atual, liderado pelo SEPE possui ” motivo meramente político, como é agora, para fazer o jogo de confronto entre oposição e governo, sindicato e empregador, enchendo os profissionais com falsas esperanças quixotescas, embarcando numa canoa furada e abandonando todas as negociações que fizemos para beneficiar a Educação, …”

    Só existem dois posicionamentos: a favor ou contra. E isto aprendi a perceber com meu professor de filosofia: “o encima do muro” está a favor da manutenção do ” status quo” !!

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 11:44 AM às 11:44 AM

      Margarida, vamos à correção de algumas premissas erradas: (1) A base do governo que citei está representada num bloco de 24 vereadores, seis vezes maior que a segunda bancada. Eu não faço parte deste bloco, estou independente como líder do PV. (2) Todas as ações voltadas para servidor, favoráveis a eles, tiveram meu apoio sim, e as contrárias minha luta, como você pode relembrar aqui. https://blog.messina.com.br/2011/09/09/analise-completa-sobre-a-reforma-da-previdencia-rio/ . Estude um pouco minha trajetória antes de fazer ilações não verdadeiras. (3) Os problemas que temos pela frente são herdados e mantidos pela administração atual sim, e por isso meu trabalho é voltado 100% para essas lutas. E tenho conseguido e continuarei conseguindo mudanças. (4) “O motivo meramente político” a que me referi foi a CPI, não a greve. Jamais verá escrita uma linha minha tirando o mérito ou a legitimidade da greve dos servidores, não distorça minhas palavras! (5) Se você teve um professor de filosofia que lhe ensinou só haver na vida dois posicionamentos, e que o mundo é dividido em preto e branco, tanto ele quanto você precisam voltar a estudar essa matéria, desculpe a sinceridade. Abraços!

  28. Paula Barbosa sexta-feira, 6 setembro 2013, 12:08 PM às 12:08 PM

    Eu não confio no Eduardo e nem na Claudia eles estão sucateando a educação .Eu quero sim saber o que foi feito com o dinheiro do FUNDEB .
    Quanto ao senhor ,não vou deixar de te achar fofo pq não votou a favor ,tem suas convicções e repeito .Agora TODOS temos de ir atrás de nossos direito ,cobrar respostas …essa greve é um grito ,devemo estar incomodando a dupla com tanto barulho .EU QUERO SABER CADÊ O FUNDEB ..tem twitter ,jornalistas ,revistas ,facebook que podem nos ajudar a questionar.Vamos denunciar as arbitrariedades do Eduardo e de sua secretária …até o fim .até faltar nossa voz .Não somos burros é fácil crucificar somente um por isso ou aquilo TEMOS DE FAZER NOSSA PARTE !!!!

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 12:11 PM às 12:11 PM

      Paula, primeiro… RSSSSS!!!… Segundo, sobre o Fundeb, fique tranquila que eu também quero essa resposta de onde foi aplicado o Fundeb e a solução sobre a aplicação correta no salário dos servidores. Vou conseguir, mas não vai ser apostando as fichas numa CPI e sim na mesa de negociações. Bjs!

  29. Elen Ferreira sexta-feira, 6 setembro 2013, 1:47 PM às 1:47 PM

    Messina, entendo seu posicionamento e espero qu triplique esforços para que seja aprovada a destinação dos valores referentes ao fundeb para os profissionais da educação.
    Vou aguardar e acompanhar.
    Votei em você e acredito na sua sensatez. Nem sempre falamos o que todos querem ouvir, mas desde que tenhamos coerência e que nossas ações sejam conjuntas às atitudes, devemos arriscar e nos mostrar tal como somos.
    Sou PII 22:30, tenho 42 alunos em sala com um aluno incluído no 4º ano e espero que tenhamos bons ganhos com o movimento.
    Abraço

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 2:35 PM às 2:35 PM

      Elen, obrigado pela mensagem, esteja certo que vou triplicar os esforços sim para a nova lei! Abraços

  30. Mauricio Maia sexta-feira, 6 setembro 2013, 2:31 PM às 2:31 PM

    Na verdade, objetivamente a única filosofia que pode sustentar qualquer situação política, em sua maior amplitude, independentemente partidária, a qual envolve os mais diversos interesses pessoais, ainda que ideológicos, deveria ser o “interesse comum” que atendam as necessidades coletivas de forma justa e coerente, porém o que tenho presenciado nesses últimos anos, no exercício democrático das nossas escolhas, consequentemente, entre o sim e o não, mesmo que possa se debater no campo das idéias o “talvez” que pode ser representado pelas mil nuances de tons de cinzas entre o preto e branco, ou ainda o branco seja na representação física da mistura de diversas cores, e o preto a ausência de cor, em suma; Devemos respeitar todos os argumentos sustentados com inteligência e desenvoltura, porém temos que estar atentos nas nossas escolhas políticas de representação executiva e legislativa, que num dado momento, foram e serão, escolhidos pelo sim ou rejeitados pelo não, assim como os “escolhidos” terão que expor seus atos a favor ou contra as expectativas daqueles que elegeram o homem público, e aí caberá a estes mesmos eleitores multiplicar informações, analisar suas escolhas e julgar para não cairem no mesmo erro, se for o caso, e a partir daí acompanhar passo a passo a trajetória política do seu eleito. Da minha parte eu me comprometo a ficar ainda mais atento na hora do SIM ou NÃO. infelizmente a maior parte desses representantes não tem correspondido as verdadeiras necessidades da nossa sociedade, que está demonstrando claramente nesse momento insatisfeita e disposta a não deixar mais se enganar nem iludir, que venham as próximas eleições.

    • Paulo Messina sexta-feira, 6 setembro 2013, 2:39 PM às 2:39 PM

      Maurício, este talvez seja o maior erro do cidadão: ele não acompanha ao longo do exercício do mandato as trajetórias. Basta fazer uma rápida pesquisa informal à sua volta, perguntando se seus conhecidos sequer se lembram em quem votaram. O ponto é que, se durante a minha trajetória, os “argumentos sustentados com inteligência” se transformarem em ações reais de mudança positivas para as categorias que busco representar, vou me considerar realizado. Se de fato o cidadão, como você, acompanhar passo a passo essa trajetória, a vitória estará completa. Abraços!

  31. Rosana sexta-feira, 6 setembro 2013, 6:51 PM às 6:51 PM

    Não esqueça, Sr. Vereador, que não é só o FUNDEB que compõe o salário do professor. Tem também os 25% da arrecadação da prefeitura, que não está sendo usado.

  32. Antonio Fred sexta-feira, 6 setembro 2013, 7:23 PM às 7:23 PM

    Obrigado vereador Paulo Messina por nos esclarecer sobre o seu posicionamento sobre a CPI do Fundeb.

  33. LUCIANA GOMES sábado, 7 setembro 2013, 3:14 PM às 3:14 PM

    Como integrante da Comissão de Educação da Câmara e com prestígio junto à SME vc não poderia atuar como mediador entre o SEPE e o Prefeito? Ah, vc tb pode colaborar com o GT para elaboração do PCCS, sugiro que a hora aula seja a mesma entre professores com a mesma formação. Desse modo, não haverá distorção entre os salários de quem é PEI/PII de 22:30h e PII de 40h. Penso que vc deveria assinar a CPI do Fundeb, pois como dizia a minha mãe “quem cala, consente”.

  34. adriana sábado, 7 setembro 2013, 4:17 PM às 4:17 PM

    Vc tem meu total apoio, confio e acredito em suas ideias, vc tem me dado motivos de sobra pra acreditar na veracidade de suas ações

  35. GERALDA PEREIRA GENEROSO LIMA segunda-feira, 9 setembro 2013, 6:22 PM às 6:22 PM

    EU SEMPRE ACREDITEI NA SUA TRANSPARENCIA,NA SUA VERDADE,NA SUA LUTA EM NOSSO FAVOR,(AAC),VÁ EM FRENTE;ESTAMOS CONTIGO PRO QUE DER E VIER,VC É O CARA!!! MUITA GENTE VAI TER QUE NOS ENGOLIR…

  36. Andréa Ramos. segunda-feira, 9 setembro 2013, 9:05 PM às 9:05 PM

    Olá Paulo Messina, compreendo o seu posicionamento pois para se entrar numa luta e querer vencê-la não é necessário somente o uso da força e sim tem de ter um planejamento,estratégia, uma tática…para descobrir o ponto franco do inimigo e o momento certo de iniciar o confronto! Conte sempre com o meu apoio Agente Auxiliar de Creche do Rio de Janeiro.

  37. Valmir Henrique segunda-feira, 9 setembro 2013, 10:16 PM às 10:16 PM

    Sempre transparente, sempre dando conta de suas atitudes e sempre pelos trabalhadores. Esta é a visão que tenho de vc Messina. Só não entende sua posição quem realmente só quer ver confusão e que vc perca o dialogo que tem com a administração municipal. Não dá pra botar em risco toda uma negociação que vem acontecendo há anos só pq querem que vc assine uma CPI. A câmara tem mais de 50 vereadores pq vc se tornou tão imprescindível agora????Será que é pq vc tem realmente feito algo real para educação e os carrapatos que estão aí há anos estão se sentindo ameaçados?????Estou contigo.Conte comigo!!!!

  38. manoela lima terça-feira, 10 setembro 2013, 2:43 PM às 2:43 PM

    Boa tarde! Como foi prometido pelo senhor na semana passada, gostaria de saber qual o dia, ainda desta semana, que será divulgado o quadro detalhado do orçamento da educação…

  39. Cristiane Guedes terça-feira, 10 setembro 2013, 2:52 PM às 2:52 PM

    Sr. Paulo Messina, desde já gostaria de lhe dizer o quanto confio no seu trabalho e também de parabeniza-lo por sua preocupação e dedicação conosco … tenho percebido ao ler seus belos artigos o verdadeiro valor que nos remete, pois muitas vezes não somos nem mesmo valorizados nas escolas onde nos encontramos lotados, ou seja, não há nenhum tipo de apoio nem de diretores, nem de apoio à direção … simplesmente … NADA … somos sempre julgados sem termos o direito se quer de opinarmos em situações que diversas vezes não concordamos, não aceitamos … enfim … e por último, voltando a sua própria indagação neste artigo, questiono-lhe: E o Agente Educador II, que na prática faz o trabalho do inspetor de alunos, e recebe um salário mínimo para se responsabilizar por 400 crianças? Pôxa! Quem dera que lá na Escola Municipal Estados Unidos existisse somente esse quantitativo de alunos!!!!

    Obrigada Vereador Paulo Messina.

    Cristiane Guedes.

  40. manoela quarta-feira, 11 setembro 2013, 10:21 AM às 10:21 AM

    Sr Messina, sou a professora que mencionou num comentário os Inquéritos no MP e o relatório do TCM. Gostaria de ter a possibilidade de conversar com osr pessoalmente. Com o fim da greve volto a trabalhar de 7 as 17 e 15. Seria possível algum horário para eu falar com osr e/ou sua equipe? Meu email é XXXXXXXXXXXXX (hidden)

  41. elizabete costa domingo, 15 setembro 2013, 3:15 PM às 3:15 PM

    Como sempre dando um banho em cidadania, bom senso e um timo estrategista. Parabns vereador, tenho orgulho de ter vc como vereador.. Estou no teu p (lembra?), kkkkkkkkkkkkkkk, abrao. Adorei conhecer o Omar, e ele tem minha total simpatia e apreo.

    ________________________________

  42. Ana Lucia Medeiros segunda-feira, 16 setembro 2013, 7:38 AM às 7:38 AM

    Algumas pessoas não entendem que um politico nem sempre faz uma escolha pensando so nele mas sim no coletivo, isso e raro mas acontece e o nome Paulo Messina faz parte dessa raridade PARABENS e obrigado por se preocupar em esclarecer o assunto , que Deus continue iluminando seu caminho.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: