Na Iminência do Plano para os Profissionais da Educação

Pessoal,

Com a elaboração do Plano de Cargos, Carreiras e Remunerações dos Profissionais da Educação reduzida a meros 15 dias, tivemos que correr para conseguir levar aos componentes do Grupo de Trabalho do Plano a realidade de cada categoria envolvida.

O tempo de 90 dias, originalmente proposto, foi reduzido para 30 dias por pressão de entidades sindicais e, como o decreto foi publicado 15 dias depois mantendo as datas originais, sobraram apenas duas semanas para que o GT chegasse ao texto final. Duas premissas me preocupam muito, portanto, uma delas sendo o prazo tão corrido (não seria melhor 45 ou 60 dias?), e a outra um índice único de reajuste (vide artigo anterior aqui).

Na Audiência Pública da Comissão Especial de Revisão do Plano Municipal de Educação, em 18 de junho de 2013, foram eleitos 2 representantes de cada categoria, para formar o nosso GT do Legislativo, e a eles pedimos que fizessem um “dossiê” sobre os pleitos principais de condições e remunerações. Só o profissional que vive as dificuldades específicas do seu cargo sabe falar sobre ele.

Assim foi, todos prepararam seus dados e nos reunimos com os técnicos do Grupo de Trabalho do Plano (GT do Executivo) em 11 de Setembro (última quarta-feira), uma categoria por vez, de 14:00 às 19:00. Foi importante porque representou um trabalho de “imersão” dos técnicos na realidade mais próxima de cada categoria, além de, é claro, ficar tudo documentado.

ReuniaoGTPCCS1

Abaixo, o que foi discutido, em ordem de apresentação (Categoria; Nome dos Profissionais; Principais Pleitos):

a) Professor II 22,5 horas: Luciana Calijão, Monique Azevedo, Vivianne Novello. Principais Pleitos: Hora aula compatível com o PII 40 horas de mesma formação (hoje, recebem 9 reais contra 25 reais da outra categoria); Possibilidade de opção por 40 horas.

b) Secretário Escolar: André Souza, Vanessa Pereira da Silva. Principais Pleitos: Piso corrigido para ensino médio e com a incorporação do piso remuneratório; Aplicação da GD conforme a Lei; Extensão dos benefícios.

c) Agente Educador II: Alexander Martins, Fabiano Valente. Principais Pleitos: Enquadramento por formação, já que o atual ensino fundamental é muito baixo e provoca exonerações; Redução da Carga Horária; gratificação por formação; extensão de benefícios.

d) Professor de Educação Infantil: Camila Reche, Greice Duarte. Por falha de comunicação com o gabinete, não compareceram à reunião, mas enviaram o documento por meio eletrônico e foi inserido nos estudos da mesma forma. Principais Pleitos: Enquadramento por formação; Que os próximos concursos para PEI exijam nível superior; Garantir 1/3 do planejamento; Equiparação de hora aula com o PII 40 horas; Inclusão de insalubridade.

e) Agente Auxiliar de Creche: Márcia Nunes, Valmir Henrique. Principais Pleitos: Inclusão no Magistério; Mudança de Nomenclatura do Cargo.

f) Professor II, 40 Horas: Gleice Rúbia da Silva Carvalho, Maria Iná Inocêncio da Silva. Principais Pleitos: Respeitar 1/3 do planejamento escolar; Revisão do valor do Auxílio Creche e Auxílio Educação; Solicita repasse da verba do FUNDEB para que o professor escolha suas capacitações. (Lembrando que a equiparação com o PI já ocorrerá pela votação do dia 18/09).

g) Merendeira: Maria de Fátima Castanheira, Vânia Teixeira. Principais Pleitos: Serem reconhecidas como cozinheiras escolares; piso salarial ser corrigido conforme a função correta; possibilidade de redução da carga horária.

h) Professor I: Jemima Celles, Joelma da Costa. Principais Pleitos: Incentivo a formação continuada do profissional, com aumento percentual salarial; Tornar obrigatório o ensino de Espanhol; mais autonomia dentro da sala de aula; Diminuição do número de alunos por turma.

i) Proinape: Denair Lima de Faria, Elizabeth Souza de Oliveira. Principais Pleitos: Criação dos cargos de assistente social e psicólogos na SME, sem prejuízo das atuais remunerações de cada categoria profissional; Incorporar os encargos especiais na aposentadoria; Resolver defasagem de profissionais.

A Ata de reunião pode ser lida na íntegra neste link (clique aqui).

ReuniaoGTPCCS2

Amanhã, 17 de setembro, teremos uma reunião na Prefeitura na hora do almoço para recebermos e debatermos a versão final do plano, que será enviada à Câmara em seguida. Com base nos pontos apresentados, já negociaremos melhorias, se já não tiverem sido implementadas, para atender os principais pleitos das categorias. Amanhã conheceremos o documento, e se estas melhorias propostas foram ou não incluídas.

Após a chegada do Plano na Câmara, ele deverá ser publicado dentro de um ou dois dias, passar pelo parecer das comissões (3 dias para cada comissão, ao invés de 14, já que estará em regime de urgência!) e poderemos marcar a votação, provavelmente entre o final de setembro e primeira quinzena de outubro. Mandarei notícias após a reunião com a Prefeitura amanhã à tarde.

Abraços,
Paulo Messina

48 pensamentos sobre “Na Iminência do Plano para os Profissionais da Educação

  1. Daiana segunda-feira, 16 setembro 2013, 4:55 PM às 4:55 PM

    A votação não será na quarta dia 18?

    • Paulo Messina segunda-feira, 16 setembro 2013, 5:13 PM às 5:13 PM

      Daiana, a votação da quarta, dia 18/09, é sobre os PLs dos AACs, PEIs e PII 40. O plano será outro dia, até porque há os prazos de tramitação que coloquei no artigo. Abraços!

  2. vjgrj segunda-feira, 16 setembro 2013, 5:22 PM às 5:22 PM

    Senhor Messina, uma boa tarde.
    Sou Secretário Escolar Municipal e venho solicitar ao senhor que atente aos seguintes pontos:
    O regimento do cargo de Secretário Escolar o coloca como “faz tudo” na escola. Basta uma breve pesquisa junto à categoria e o senhor perceberá relatos de SEs que são obrigados a fazer trabalho da Direção com a senha da mesma compartilhada. Muitos de nós acabam sendo, também, atestadores de material e de merenda (tendo que suspender as suas atividades para fazer a conferência das entregas). Muitos de nós também acabam ficando responsáveis pelo Núcleo (departamento de RH). A Lei que regula o nosso cargo nos deixa responsáveis pela Secretaria da Escola, pelo seu ressuprimento e funcionamento adequado. No mais, o volume do serviço do SE é muito grande, pois ele ainda tem que lançar notas e conceitos de TODA a escola, atestar faltas e expedir documentações diversas referente a programas sociais e à vida escolar, ligar para os responsáveis (às vezes de turmas inteiras), redigir comunicados e etc…

    Não desmerecendo o papel desempenhado pelos representantes SEs que foram à sua reunião, acredito que o maior ajuste que possa ser feito para a nossa categoria é a redução da carga horária para 30 horas semanais e a medição de SEs por turma ou número de alunos. Acredito que a proporção adequada seja 1 SE para cada 6 ou 7 turmas (uma média de 210 alunos), divididos em dois turnos de 6 horas o que daria uma rotina diária de 12 h ao dia para a secretaria. A rotina coberta a cada dia aumenta, o SE poderá dar mais atenção à tarefa que está desempenhando e prestar um trabalho de maior qualidade à direção e à comunidade.

    Tal mudança se justifica pelo alto volume de serviço e pela variadíssima gama de atribuições cabíveis aos SEs. Outro aspecto de grande importância é que da forma como o cargo de SE é regulamentado a reposição de Agentes Administrativos (exonerados e/ou aposentados) se fará desvantajosa para a gestão municipal pois o Primeiro tem todas as obrigações e responsabilidades do Segundo e “poderia absorver o trabalho excedente”. Outro fator é o aumento do volume processado de 8 h (1 SE) para 12 h (2 SE) e a maior cobertura do tempo em que a unidade fica aberta (onde estou lotado é das 6:30h às 17:30h) com a presença de um SE durante as ausências do outro e mesmo nas férias. Esta medida ainda torna-se imperativa para a proteção do SE e da sua saúde mental e física.

    Estive a muito tempo procurando um e-mail do senhor mas não encontrei nenhum que estivesse funcionando. Sou SE e sou formado em Administração (Técnico e Bacharel) e gostaria muito de poder ajudar os SE.

    • Paulo Messina segunda-feira, 16 setembro 2013, 5:23 PM às 5:23 PM

      Olá! Obrigado pela importante contribuição! Use meu email pessoal: paulo@messina.com.br . Abraços!

  3. Maria Fernanda segunda-feira, 16 setembro 2013, 5:25 PM às 5:25 PM

    Verifiquei que não está sendo contemplado o cargo de Psicopedagogo, que é um cargo com 4 anos de especialização em Pedagogia (hoje em dia são 3 anos???), e mais 600 hs + ou – de Pós graduação em Psicopedagogia.

  4. Carlos segunda-feira, 16 setembro 2013, 6:09 PM às 6:09 PM

    Com todo o respeito vereador, um dos pontos que me chama muita a atenção e que deve ser visto com cautela é a mudança de escolaridade do PEI, posto que este é o único cargo do magistério municipal que ainda exige apenas a escolaridade de nível médio modalidade normal. Se esta mudança ocorrer vai fechar mais uma porta para aquelas pessoas que saem do curso normal e almejam serem professores na Municipalidade. Como bem sabemos o educador deve ter formação continuada, mas como essas pessoas vão conseguir melhorar (fazer uma graduação …) se não mais existira um emprego inicial que permita isso. Embora louvável o pleito da PEIs, não merece prosperar, ou seja, o cargo deve permanecer com a escolaridade de nível médio na modalidade normal e com um enquadramento por formação justo, pois assim será sanada a não modificação de escolaridade!
    Abs

  5. Palmira Caetano segunda-feira, 16 setembro 2013, 6:16 PM às 6:16 PM

    Quem são essas pessoas e por que foram escolhidas como nossos “representantes”? Essa é a pergunta da categoria

    • Paulo Messina segunda-feira, 16 setembro 2013, 7:09 PM às 7:09 PM

      Palmira, “a categoria” foi convidada à Audiência Pública de 18 de junho de 2013 e lotou as galerias e plenário da Câmara Municipal, onde discutimos e “a categoria” elegeu os membros presentes. O vídeo pode ser visto na íntegra aqui: http://www.youtube.com/watch?v=v_w5qaE7nHE

  6. Maria Eugenia segunda-feira, 16 setembro 2013, 6:38 PM às 6:38 PM

    Porque os Agentes DE ADMINISTRAÇÃO tão esquecidos que trabalham há mais de 20 anos em escolas não entram no Plano de Cargos e Salários da Educação!Preciso saber pois não é justo!!!

  7. Elizete Esquerda Oliveira segunda-feira, 16 setembro 2013, 6:45 PM às 6:45 PM

    sr. Vereador Messina, ainda não entendi a sua participação no GT do PCS. Pode me esclarecer? E também responder a razão para a não participação do SEPE no GT, conforme publicação em D.O. e acordo de ata na ocasião das negociações.

    • Paulo Messina segunda-feira, 16 setembro 2013, 7:12 PM às 7:12 PM

      Elizete, não tenho participação no GT, pois o mesmo é um órgão do Poder Executivo e eu sou representante do Poder Legislativo. Levamos as categorias eleitas na Audiência Pública no intuito de contribuir com a elaboração do plano, e levaram pontos que consideravam cruciais, listados neste artigo. Por quê? Você discorda de algum deles? Quanto ao Sindicato não ter participado, fico surpreso, uma vez que li até ontem, pelo menos, todas as publicações garantindo sua publicação, inclusive de representantes do próprio Sepe dizendo que tinham feito duas reuniões com a SME e Casa Civil sobre o plano. Enfim, se foram alijados do processo por algum motivo, é legítimo que busquem a interlocução de vocês no Poder Executivo para que corrijam o erro. Com relação a mim, Poder Legislativo, haverá ainda a tramitação na Câmara, e estarei à disposição dos profissionais da Educação, como sempre.

  8. Alvaro Carvalho segunda-feira, 16 setembro 2013, 7:05 PM às 7:05 PM

    A redução da carga horária deve estar bem clara pois, os AEs estão sobrecarregados. Muitos de nós estão de licença

  9. simone motta segunda-feira, 16 setembro 2013, 7:14 PM às 7:14 PM

    Boa noite Messina, sou Agente Auxiliar de Creche fiz prova para PEI passei tenho duas dvidas: No novo projeto de lei o PEI se optar pelo horrio de 40 hs poder fazer corrido? Ex: de 7:00 s 15:00 / 9:00 s 17:00 ou ter que fazer a parada p/ almoo? E j fao parte do quadro efetivo da Prefeitura a 5 anos terei que passar pela percia novamente? Se no precisar me envie por favor o documento que me assegure esse direito. Desde j obrigada pela ateno Simone Date: Mon, 16 Sep 2013 19:33:35 +0000 To: symonemss@hotmail.com

  10. maria da gloria vieitas francisco da silva segunda-feira, 16 setembro 2013, 7:36 PM às 7:36 PM

    Boa noite Messina sou agente de aux. de creche fiz prova passei, só que me contrataram e não me efetivaram isso é justo, qual a chance que eu de me efetivarem aguardo sua resposta

  11. Raquel Macedo Alves Monteiro segunda-feira, 16 setembro 2013, 9:10 PM às 9:10 PM

    Prezado e querido vereador Paulo Messina, pelo que entendi, a partir de agora todo concurso para PEI será exigido uma formação de nível superior? Quem tem o Magistério somente, não poderá fazê-lo?

  12. SONIA segunda-feira, 16 setembro 2013, 9:13 PM às 9:13 PM

    BOA NOITE PAULO MESSINA GOSTARIA SE SABER COMO FICA O CASO DOS READPADOS

  13. eduardo segunda-feira, 16 setembro 2013, 9:25 PM às 9:25 PM

    Boa noite vereador,
    considero louvável o seu PL dos AAC, mas analisando o mesmo, percebo que o AAC com carga horária de 6 hs vai ganhar mais que o PEI (que é o regente), não acho justo. Faça as contas, mesmo os PEIs trabalhando 4,30 hrs, o AAC ganhará mais por hora /aula. Aguardo.

  14. eliane da silva fonseca segunda-feira, 16 setembro 2013, 9:26 PM às 9:26 PM

    Boa noite!
    Sou PII e formada em Terapia Ocupacional, vi que serão criados os cargos de Assistente Social e Psicólogo na SME.
    Por que não criar também o cargo de Terapeuta Ocupacional? Já tive vários alunos com deficiência devido a inclusão em nossas escolas e essa carreira é muitíssimo importantpara esses alunos. É justo essa minha carreira não ser enquadrada no Plano?
    Obrigada pela atenção

  15. Wallace segunda-feira, 16 setembro 2013, 9:32 PM às 9:32 PM

    Os pontos relacionados aos PI me surpreenderam, pois não fazem menção ao tempo de serviço para o plano de carreira e consequentemente aumento salarial, e não especifica a pós graduação (lato sensu) como parte da formação continuada para recebimento deste mesmo aumento.

  16. Giovana Bueno segunda-feira, 16 setembro 2013, 9:52 PM às 9:52 PM

    E a situação dos professores de Artes que dão aula para o primeiro segmento e têm que dar aula para doze turmas? Queremos dois tempos por turma no primeiro segmento!

  17. Marcus segunda-feira, 16 setembro 2013, 11:09 PM às 11:09 PM

    Depois das votações dos PLs de quarta-feira, entre elas a dos PEIs, qual o tempo para que seja colocado de fato em prática?

  18. Maria Fernanda S. da Silva terça-feira, 17 setembro 2013, 6:30 AM às 6:30 AM

    Bom dia vereador Messina, sou AAC e fico muito feliz com as propostas referentes ao meu cargo porém gostaria de saber se não houve menção ao fato de ser incluida a insalubridade como nosso benefício. Devido a execução das nossas atividades diárias muitos profissionais adquirem doenças ortopédicas e virais. Gostaria de um esclarecimento. Muito obrigada e abraços.

  19. sam terça-feira, 17 setembro 2013, 7:00 AM às 7:00 AM

    Bom dia Messina quero agradecer pelo otimo trabalho.Sou AAc e também acho que devemos ter insalubridade afinal somos nós que ficamos e limpamos as crianças e estamos sempre doentes. Obrigada

  20. Lucia Chaves Passagem terça-feira, 17 setembro 2013, 7:17 AM às 7:17 AM

    Paulo, os aposentados continuarão com a paridade?

  21. Regina Celia Martins da Silva terça-feira, 17 setembro 2013, 10:25 AM às 10:25 AM

    E como ficam os aposentados?Regina Celia Martins da Silva.

  22. Lorena maria Nova Alves terça-feira, 17 setembro 2013, 11:05 AM às 11:05 AM

    Faltou nesse GT representantes da Educação Especial

  23. Leandro Minguta terça-feira, 17 setembro 2013, 2:57 PM às 2:57 PM

    Os 6,75% são correção monetária e não aumento efetivo, concordo que 8% não são a solução do problema, mas há de convir que 1 é melhor do que 0! São muitos anos de perdas para serem solucionados de uma vez, desconfio que o plano de carreira, cargos e salários, também não resolverão de todo, mas em parte já é alguma melhora, será mais eficaz se recursos do Fundeb fossem aplicados onde deveriam, na Educação! Temos recursos entrando nos cofres do município, e sem destinação conhecida, como as multas de trânsito e do Lixo Zero, reverta esse “fundo extra sem destino” através de PL para Educação e Saúde, se não em todo, mas pelo menos em partes iguais, diferentemente dos Royalties do petróleo! Fica a dica, sei que vocês vereadores são caras inteligente e que acharão um jeito de tornar essa idéia realidade! Forte abraço!

  24. Orlando Ferreira terça-feira, 17 setembro 2013, 3:56 PM às 3:56 PM

    Depois de aprovada a PL dos Agentes, quando ira começar o curso de capacitação e de quanto tempo será Paulo ?

  25. Orlando Ferreira terça-feira, 17 setembro 2013, 3:58 PM às 3:58 PM

    Desculpa Paulo, rsss. Faltou informação: digo curso para os agentes que só tem o nível médio.

  26. Joamar Faria Pinto terça-feira, 17 setembro 2013, 4:58 PM às 4:58 PM

    Ex.Ver. Paulo Messina, peço informações sobre a chamada do concurso de Agente Educador II, pois fui aprovado em 1.095º lugar e havia previsão de chamada ainda este Ano !! Agradeço antecipadamente a gentileza e atenção.

  27. Jocelí A. Cruz terça-feira, 17 setembro 2013, 7:51 PM às 7:51 PM

    Ex. Ver. Paulo Messina, gostaria de saber porque os Agentes Administrativos que trabalham nas escolas e cujas atribuições são as mesmas dos Secretários Escolares e ainda são responsáveis pelo setor de Pessoal estão de fora do Plano de Cargos (esses profissionais estão há mais de 15 anos nas escolas e os Secretários chegaram no ano passado). Por que a injustiça?

  28. Rafaella terça-feira, 17 setembro 2013, 8:39 PM às 8:39 PM

    Ex.Ver. Paulo Messina, Que os próximos concursos para PEI exijam nível superior… E o art. 62 LDB a Modalidade Normal serve para que? Jogar no lixo? A Claudia Costin havia me respondido via Twitter que a Modalidade em questão serviria apenas para os concursos de PEI, que nem as séries iniciais que é garantido pela LDB serviria. Então seria melhor criarem uma PL que extinguisse a modalidade normal das U.E, que os alunos não perdessem tempo estudando 3 a 4 anos para ser explicadores em suas casas porque o diploma não vai servir para nada a nível de concurso público.

  29. Marcelle Weber terça-feira, 17 setembro 2013, 9:35 PM às 9:35 PM

    sou agente educadora e aguardo ansiosa a redução da nossa carga horária,é uma queixa de todos pois ficamos a maioria do tempo em pé,e o nosso trabalho é extremamente cansativo pois lidamos na maioria das vezes com todos os alunos da escola,um quantitativo gde ,acredito e confio q iremos conseguir,isso para o nosso cargo pra mim é prioridade!!!

  30. Angela A. Serafim terça-feira, 17 setembro 2013, 9:49 PM às 9:49 PM

    Boa noite, sr. Paulo Messina. Partilhamos da opinião de que o é desumano e absurdo PII 22h30min receber 9 reais por hora, principalmente quando se tem Licenciatura Plena. Daí minha incredulidade ao ler a proposta da SME para o novo PCCS e constatar que sequer fomos citados nesse documento. Espero que possamos contar com sua análise e apoio na correção dessa falha. Att

  31. Jessica terça-feira, 17 setembro 2013, 10:20 PM às 10:20 PM

    Sr. Vereador,

    Li a proposta do PCS que foi entregue ao SEPE no final da tarde desta terça. Fiquei triste ao ver que o professor que possui a carga horária de 22,5 não foi considerado em nenhum momento.
    Tenho duas matrículas de PEI, sou formada em pedagogia e Mestre em Educação. Neste ano optei por permanecer no RJ com duas matrículas (antes tinha uma em Mesquita como PEI também). Conforme a proposta, com a CH de 45h, ganharei menos que o professor de 40h.
    O PCS “incentiva”, de forma bem clara, que o professor de 22,5 aumente sua CH para usufruir dos benefícios da equiparação hora-aula. A verdade é que parece uma condição.
    Ok, eu poderia desistir de uma matrícula e ampliar a outra para 40h, mas o Sr. não concorda que essa decisão também implica em outras variáveis? (em uma das matrículas averbei meus anos de Mesquita; eu trabalho em escolas diferentes, poderei permanecer na que eu desejar? Já que na hora da escolha não tive opção da CRE em permanecer na primeira matrícula).
    Mas o principal de toda essa questão é o que estou sentindo neste momento. Sinto-me acuada, vejo que para ser valorizada (com o PCS nessas condições), precisarei tomar uma decisão praticamente obrigada, quando na verdade, não entendo porque profissionais com a mesma função podem ganhar diferente (basta realizarmos uma regra de três simples).
    Gostaria sim de ter a opção de permanecer com duas matrículas de 22,5, ou mesmo optar por ficar apenas com uma de 22,5 (opção que muito me agrada), haja vista que trabalhar 40h dentro de uma UE (modalidade creche), é muito cansativo, principalmente porque cumprir totalmente o horário de planejamento é algo praticamente inviável nas creches. Eu vivo essa experiência, e só não desisti de uma matrícula justamente porque necessito do dinheiro, assim como muitos colegas.
    Diante de tudo o que foi exposto, peço para que interceda pela equiparação da hora-aula do professor, independente de sua CH. Sinceramente, não consigo compreender como essa disparidade se mantêm nessa proposta do PCS.

    Por favor, aguardo uma resposta.
    Abraços, Jessica

  32. Simone de Oliveira quarta-feira, 18 setembro 2013, 12:18 AM às 12:18 AM

    Conforme vem sendo solicitado por alguns AACs, aqui em postagens anteriores, o recebimento de insalubridade, gostaria que fosse também recebido, por nós PEIs, pois também damos banho, limpamos, CUIDAMOS de nossos alunos, da sala de aula, temos também problemas ortopédicos e virais, e ainda nos preocupamos com o pedagógico, sem direito, ainda, de horário de planejamento. Aguardo retorno!

  33. Cassiana quarta-feira, 18 setembro 2013, 2:43 AM às 2:43 AM

    Senhor Vereador Messina com relação ao item: h) Professor I: Jemima Celles, Joelma da Costa. Principais Pleitos: Incentivo a formação continuada do profissional, com aumento percentual salarial; Tornar obrigatório o ensino de Espanhol; mais autonomia dentro da sala de aula; Diminuição do número de alunos por turma.
    Bem primeiramente é impossível falar de autonomia com a meritocracia instalada em nossa Rede.
    Tornar obrigatório o ensino de Espanhol? Bem acho que não é de seu conhecimento que o ensino do espanhol já é obrigatório na maior Rede Municipal de Ensino da América Latina, temos uma lei Municipal de nº 2.939 de 24/11/1999.
    Outra lei Estadual Nº 2.447 de 16/10/1995. E a lei Federal de nº 11.161 de 5/08/2005, sem contar a lei do MERCOSUL.
    Ou seja, a Prefeitura e a SME estão simplesmente descumprindo a Lei. Somos professores concursados, nos dedicamos ao estudo desta língua por 5 anos e outros mais, já que somos especialistas, mestres e doutores em Língua Espanhola e suas literaturas Dedicamos anos de estudo e de investimento na aquisição de matérias, viagens para vivenciar a cultura e aplicarmos em nossas aulas, muitos de nós fomos bolsistas na Espanha e em outros países de América Latina. Realizamos em nossas escolas um trabalho sério e de competência. Dedicamos-nos com amor e responsabilidade à nossa profissão. Não é favor que queremos e sim que se cumpra a LEI que já existe e há muito tempo. Espero que eu o tenha ajudado a desfazer esta confusão.

  34. Flávia quarta-feira, 18 setembro 2013, 7:23 AM às 7:23 AM

    Vereador tenho uma dúvida porque você começa o texto falando PCCS nos dois primeiros parágrafos (como se você estivesse participando dele) e logo em seguida emenda no PL, Se a sua intenção foi de confundir parabéns você conseguiu.

    • Paulo Messina quinta-feira, 19 setembro 2013, 10:30 AM às 10:30 AM

      É Flávia, posso ter me expressado mal, principalmente para quem não conhecia os capítulos anteriores. Esse é um GT do LEGISLATIVO (com 2 de cada categoria), eleitos em Audiência Pública de 18 de JUNHO, por uma comissão especial que iniciou seus trabalhos em MARÇO. Nós tão somente levamos propostas e sugestões aos técnicos do GT do EXECUTIVO (este sim, que escreveu o plano). Várias delas, contudo, sequer foram contempladas. Agora, em diversos outros momentos, vi vereadores e o próprio sindicato também se reunindo e fazendo propostas. Então, por que essa ilação de que eu participei do plano não se aplicou também aos outros? Na verdade, tudo mentira, uma vez que nós do legislativo recebemos o documento e pudemos saber de seu teor apenas em 17/09.

  35. sam quarta-feira, 18 setembro 2013, 8:38 AM às 8:38 AM

    Sr Messina quem limpa as crianças e esta sujeito a todo tipo de doenças são os AAcs além de ficar mais tempo com elas, por isso merecemos a insalubridade já obrigada

  36. Cristiane da Costa quarta-feira, 18 setembro 2013, 5:59 PM às 5:59 PM

    Boa tarde,
    Senhor Paulo Messina, o senhor diz que estará à disposição dos profissionais de educação, é muito bom saber que há alguém que faz parte do legislativo e se coloca disposto a nos ajudar a entender este documento enviado somente ontem à noite para a Câmara, eu o li hoje e confesso que não acreditei ser possível tamanha falta de cuidado ao se elaborar um documento deste porte, que trata dos profissionais de educação, o que queremos não é nada de mais, apenas condições justas, dignas de trabalho, valorização tanto dos profissionais ativos quanto dos inativos, que segundo PCC apresentado não cita reajustes aos aposentados, que dedicaram sua vida em uma profissão que outrora era tida como uma da mais bonitas, entretanto hoje é vista como “restinho”, é muito triste saber que também professores de 22h e 30min, / 16h / 30h, não entram neste PCC, a menos que optem por 40h, mas e os que possuem 2 matrículas como ficam? Porque não é justo ter que abrir mão de 1 matrícula como foi cogitado em comentários anteriores, pois afinal de contas nós prestamos concurso super concorrido, nos dedicamos para chegar onde chegamos e ter de abrir mão dessa conquista por conta da falta de bom senso dos elaboradores deste PCC é no mínimo covardia contra profissionais sérios , que buscam melhorias de verdade na área da educação. Como citado anteriormente o senhor se coloca à nossa disposição peço-lhe que nos explique melhor estes pontos que comentei, que diga-se de passagem são alguns dos mal entendidos deste documento e qual a sua real participação neste PCC?

    • Paulo Messina quinta-feira, 19 setembro 2013, 10:26 AM às 10:26 AM

      Cristiane, não tenho como responder os detalhes que me perguntou, pois ainda não tive a oportunidade de estudar o PCCS profundamente, já que apenas o recebi e tomei conhecimento de seu conteúdo anteontem. Ontem foi um dia corrido pelos PLs das AACs, PEIs e PII40. Somente a partir de hoje vou conseguir estudar. Prometo em poucos dias publicar um artigo aqui com as conclusões. Mas quero adiantar que é COVARDE a forma como alguns ligados ao SEPE estão mentindo descaradamente, por motivação política, e dizendo que eu elaborei ou ajudei a elaborar o PCCS. Nós do legislativo apenas tivemos acesso ao texto em 17/09. Em um momento, em 11/09, levei o GT do legislativo para propor sugestões aos técnicos do plano, muitas delas aliás, já vi que nem foram contempladas. Agora, o SEPE também não fez o mesmo? Então eles também fizeram o plano? Já vi que terei que escrever sobre esses joguinhos políticos sujos, desculpe o desabafo, mas é que já li em vários grupos alguns diretores desse sindicato espalhando essa informação mentirosa.

  37. Jemima Celles quarta-feira, 18 setembro 2013, 9:31 PM às 9:31 PM

    Vereador, o que fomos fazer aí foi levar a reclamação da categoria e não participar da preparação do PCCS, até mesmo porque não vimos e todas as reclamações, pelo menos as que eu e a minha companheira levamos, não foi atendida, e ainda estamos sendo crucificadas pelos nossos colegas, sendo chamadas de traíra, e isso não somos. Fomos para fazer o bem. Não temos nada com a política e não queremos ter. Por favor, explique isso no seu blog. Obrigada, Jemima Celles

    • Paulo Messina quinta-feira, 19 setembro 2013, 10:18 AM às 10:18 AM

      Jemima, bom o esclarecimento. Mas interessa a alguns fazer essa confusão de propósito, por motivação política. Lembro que o próprio SEPE já fez a mesma coisa, levando reivindicações em reuniões que não eram do GT. Se é a mesma coisa, eles também fizeram o PCCS?

  38. Luana Azevedo quinta-feira, 19 setembro 2013, 1:13 AM às 1:13 AM

    E o caso das aacs que foram contratadas e depois dispensadas? Já era aquele concurso de 2007? MUITO CHATEADA!

  39. Maria Claudia quinta-feira, 19 setembro 2013, 7:21 AM às 7:21 AM

    Paulo Messina,pode.esclarecer uma dûvida,sobre o PL dos AACs,que foi aprovado?É verdade que perderemos a gratificação se faltarmos com ATESTADO MÉDICO??

    • Paulo Messina quinta-feira, 19 setembro 2013, 10:17 AM às 10:17 AM

      Mentira, Maria Claudia. No texto, está retirado o inciso XIII justamente porque ele LIMITAVA a falta médica por no máximo 3 dias. Por isso foi pulado, estão incluídos de I a XII, e XIV, pulando o XIII por esse motivo.

  40. Marcelle Weber quarta-feira, 2 outubro 2013, 4:48 PM às 4:48 PM

    Paulo Messina,por favor,tire uma dúvida de nós Aes,com esse plano,iremos passar a salário base 980,00 para quem tem médio,igualando aos outros??

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: