Resumo Atual dos Trabalhos: Merendeiras

Pessoal,

Retomando a nossa série de artigos, hoje falaremos sobre as Merendeiras. Trata-se também de uma categoria que sofreu com desvios de função na história da SME. Tendo jamais prestado concurso para Cozinheiras, essas servidoras não deveriam fazer as refeições; tratava-se originalmente de merenda.

O concurso que elas prestaram não previa que elas trabalhassem nas cozinhas e sequer o quantitativo previsto no edital era suficiente para que a categoria cumprisse a tarefa – isso sem considerar que as cozinhas não estavam preparadas para isso. Quando as crianças passaram a ter almoço em vez de lanche, então, a merenda foi substituída por refeição, e as Merendeiras passaram a ter que carregar panelas muito pesadas, picar dezenas de quilos de alimentos e a realizar uma série de outros esforços repetitivos que invariavelmente ocasionavam lesões.

13449835503_6501bcd71c_k

Durante maior reunião da história da categoria, realizada em março, Merendeiras elegeram comissão para discutir melhorias

Para se ter uma ideia do tamanho do sacrifício dessa categoria, dentre as 4.445 merendeiras ativas, mais da metade, 2.396, estão readaptadas por problemas de saúde, a maior parte delas por problemas ortopédicos. Da parte restante, quase a totalidade se licencia ao longo do ano também por problemas médicos semelhantes. Isso sem falar daquelas mais de 3 mil que já estão aposentadas por invalidez, ou seja, definitivamente fora da rede.

A condição subumana a qual estas servidoras estão expostas, além de fazer com que Merendeiras acabem sendo readaptadas, licenciadas e aposentadas, gera ainda outros dois grandes problemas: 1) sobrecarga maior sobre as que ficam; 2) as crianças param de poder comer nas escolas. Muitas vezes elas não comem ou comem apenas um lanche emergencial.

Para mudar este quadro e fazer com que essas pessoas parem de “morrer” dentro das cozinhas, além de podermos garantir um sistema correto para as crianças, nós decidimos trabalhar pela restruturação da carreira desta categoria.

E foi com este objetivo que, em março deste ano, realizamos uma grande reunião com as Merendeiras, a maior da história da categoria. Nesta reunião, elas elegeram uma comissão com 22 representantes, sendo duas merendeiras por CRE. Desde então, este grupo vem se reunindo conosco, realizando estudos em conjunto, que resultaram num projeto de lei com 7 emendas e uma grande planilha de cálculo, elaborada justamente para basear este trabalho de restruturação da carreira.

merendeira_reunião

Na última reunião, realizada em setembro, as Merendeiras concluíram as emendas e a planilha de custo.

As emendas tratam dos seguintes assuntos:

Emenda 1) Troca da nomenclatura: As merendeiras não querem ser chamadas de Cozinheiras – conforme algumas pessoas e entidades teimam em defender, querendo enfiar goela abaixo da categoria algo que vai no sentido contrário do que ela deseja. Isso apenas oficializaria o atual desvio da função, selando o destino desta categoria para definhar na cozinha. Em vez disso, nós estamos propondo que se altere o nome do cargo para Agente de Alimentação Escolar, uma vez que, após a restruturação da carreira, esses servidores passarão a realizar um trabalho mais pedagógico com as crianças – fora das cozinhas e mais próximo do propósito original do concurso.

A grande preocupação das pessoas que defendem a mudança de nomenclatura do cargo para Cozinheira Escolar é simplesmente impedir as terceirizações das cozinhas. Obcecadas pelas bandeiras ideológicas defendidas por seus partidos políticos, tais defesas não estão nem um pouco preocupadas se as servidoras vão perecer nas cozinhas ou se a saúde e o aprendizado das crianças que estão sem merenda ficarão comprometidos; querem utilizar as merendeiras como um verdadeiro ‘escudo humano’ para tentar impedir uma eventual terceirização do preparo dos alimentos, que aliás já está presente em mais de 800 unidades da Rede.

Emenda 2) Cria e Reorganiza várias atribuições para a categoria:

a) Orientar a distribuição dos alimentos aos alunos de acordo com as necessidades de cada unidade escolar;

b) Arrumar mesas para refeição;

c) Zelar pelos mantimentos, quanto a seu recebimento, segurança, higiene e conservação;

d) Controlar o total de merendas distribuídas;

e) Frequentar cursos para a sua especialização;

f) Atestar a qualidade das refeições de acordo com as orientações criadas pelo Instituto de Nutrição Annes Dias (INAD);

g) Investigar, diagnosticar e comunicar dificuldades eventuais de alunos, quanto à alimentação, aos demais profissionais de educação e ao Instituto de Nutrição Annes Dias (INAD).

h) Supervisionar o cumprimento do horário das refeições por turma, estabelecido pela direção da unidade escolar;

i) Promover ações de educação alimentar e nutricional sob orientação do Instituto Annes Dias (INAD) e da equipe pedagógica da unidade escolar;

j) Promover o estímulo à produção de hortas escolares junto aos alunos;

l) Promover incentivos junto aos alunos de boas práticas e hábitos saudáveis de alimentação.

Emenda 3) Para executar as atribuições com as crianças, vão ser usadas as Merendeiras. Para isso, será necessário restruturá-las para fora das cozinha, fazendo a partir do momento da aprovação da Lei as atribuições elencadas acima.

Emenda 4) Determina uma restruturação da carga horária das Merendeiras de 40 horas para 30 horas semanais.

Emenda 5) Uma emenda determina uma progressão de carreira para quem tem ensino médio. Hoje a categoria só pode contar com ensino fundamental, então a gente está criando uma nova tabela de vencimento para ensino médio, para estimular a categoria a se qualificar.

Emenda 6) Também está sendo proposta a criação de uma gratificação nos moldes da GDAC do Agente de Educação Infantil para quem tiver o ensino médio técnico ou superior. O objetivo é estimular a formação dessas pessoas, que agora vão fazer um trabalho muito mais pedagógico nas unidades.

Emenda 7) Determina à SME estudar a viabilidade da migração de Copeiras e Serventes para esta nova realidade que nós estamos defendendo juntos às Merendeiras.

merendeira-abobora

Movimentos repetitivos, equipamentos arcaicos e dezenas de quilos de alimentos a picar e tratar todos os dias, panelas e outros objetos pesados para alimentação de centenas de alunos causam lesões físicas muitas vezes permanentes na maior parte dos servidores.

O nosso objetivo com o projeto e as emendas é simples: nós queremos que as Merendeiras não trabalhem naquilo que elas não foram concursadas para fazer e que seja garantido às crianças um atendimento melhor na parte da alimentação.

Foram mais de seis meses de reuniões e estudos para chegarmos a estas 7 emendas e ao estudo da planilha. Em setembro, nós fizemos a última reunião com a categoria, na qual fechamos os textos das emendas e a planilha de cálculo. Estamos esperando uma reunião com o Prefeito Eduardo Paes em outubro para consolidarmos a negociação da votação do projeto na Câmara, o que esperamos que aconteça ainda este ano.

Abraços,
Paulo Messina

21 pensamentos sobre “Resumo Atual dos Trabalhos: Merendeiras

  1. ANA CRISTINA sexta-feira, 10 outubro 2014, 5:43 PM às 5:43 PM

    SOU MERENDEIRA READAPTADA POR TODOS OS MOTIVOS CITADOS ACIMA, UM FOI ESQUECIDO, O PSICOLÓGICO, MESMO DEPOIS DE READAPTADA SOFREMOS COM PRESSÃO E ABUSO DE PODER ONDE NOS LEVA A TER GRANDES PROBLEMAS PSICOLÓGICOS!POR FAVOR VEJA O QUE OCORRE COM OS READAPTADOS QUE ESTÃO NA SME!

    • Paulo Messina terça-feira, 28 outubro 2014, 2:07 PM às 2:07 PM

      Ana Cristina, sabemos que a insatisfação é bastante expressiva e, para o servidor readaptado, ainda mais. Como você deve ter lido no artigo, o PL das merendeiras traz novas perspectivas para o cargo, dando oportunidade aos readaptados voltarem ao exercício da função. #assessoriamessina

  2. nanceli lopes barboza sexta-feira, 10 outubro 2014, 7:28 PM às 7:28 PM

    sermos readaptados muitas das vezes não é vantagem pois fazemos trabalhos que compete a direção aos agentes educadores aos porteiros aos secretários só não damos aulas pois o restante que se faz dentro de uma unidade escolar fazemos sem nenhum reconhecimento ou gratificação mas como eu tem muitas estou readaptada desde 2007 por ter adquirido 5 hérnias de disco por esforço demais mas não abandonei em nenhum momento o trabalho e ainda fui punida com descontos do decreto 1742 por ter participado da greve de 2013 sendo que repus os dias como foi exigido pela SME trabalhei até nas ferias e fui descontada em março e em agosto deste ano de 2014 e agora recorro a quem

    • Paulo Messina quarta-feira, 15 outubro 2014, 1:45 PM às 1:45 PM

      Nanceli, o Projeto de Lei das merendeiras anuncia novas perspectivas à categoria – tão sofrida. Redimensionar a função das merendeiras, com a aprovação dessa lei, é o nosso propósito.
      Em relação a greve dos professores que ocorreu no ano passado, a reposição dos dias da greve garantiu a restituição do seu vencimento básico e triênios. Infelizmente, outros benefícios que o servidor agrega são, de fato, descontados porque se relacionam ao exercício da função. Qualquer dúvida, fale conosco, pelos números: 3814-2981/3814-2385/3814-2497 #assessoriamessina

  3. Marcelo Pinho sexta-feira, 10 outubro 2014, 11:09 PM às 11:09 PM

    Paulo,

    Sou seu eleitor e fã. O PV apóia Aecio. vc esta com eles? Espero que nao. Quem como eu estudou em casas federais sob FHC nunca vai votar num deles.

    Abs

    Enviado via iPad

  4. cristian vasconcelos sábado, 11 outubro 2014, 8:29 AM às 8:29 AM

    Fiz concurso para manipulador de alimentos , ou seja merendeiro escolar , não sei como deve ser chamado estes profissionais , pois a cada dia aparece um novo nome para a função,agora sei dizer que esta profissão requer disposição fisica , não tem como evitar carregar pesos ja que os lotes de alimentos são pesados devido a quantidade de merendas. Posso pedir que me ajudem? pois a comlurb me reprovou indevidamente , eram 500 vagas tirei em 384º e eles me reprovaram por motivos de saúde que não existe, vejo paulo messina lutar por quem ja trabalha como merendeira , mas não faz nada em relação as falcatruas que existe dentro da prefeitura com a comlurb em relação a isso , falo porque ja procurei pessoas indicadas por ele , mas nada fizeram. fica aqui a minha indignação em relação ao assunto.

  5. Deborah sábado, 11 outubro 2014, 9:37 AM às 9:37 AM

    Gostaria saber se as readaptadas serão incluídas na PL, ou seja, também poderão ter o cargo de Agente de Alimentação Escolar

    • Paulo Messina terça-feira, 28 outubro 2014, 3:18 PM às 3:18 PM

      Deborah, as servidoras readaptadas poderão (re)assumir as suas funções, considerando o redimensionamento das atribuições. #assessoriamessina

  6. verbene serra gomes sábado, 11 outubro 2014, 12:13 PM às 12:13 PM

    Minha filha trabalhou quase três anos, como porteira ganhando menos que um salário minino, gostando na carteira função de Serviços Gerais, numa firma do Eduardo Paes, foi mandada embora é até agora nada recebeu, sendo ela mãe de 2 filhos menores . Esqueci o nome da firma, isso é um verdadeiro absurdo. Gostaria de saber alguma coisa. Abraços

  7. Diiti sábado, 11 outubro 2014, 5:35 PM às 5:35 PM

    Parabéns Vereador e a todos os seus colaboradores por este artigo que visa corrigir estas distorções de longos anos. Valorizar e adequar seus funcionários é sinônimo de uma Administração inclusiva e um da Democracia que é feita por todos. Planejamento faz parte deste processo que emana do povo para o povo . infelizmente muitos não entendem que sem planejamento a vida não flui. Abs. Agente de Educação Infantil. Denise Saint-Martin Torres. (Diiti Ahends).

  8. denise castilho martins do bomfim sábado, 11 outubro 2014, 5:39 PM às 5:39 PM

    ,Paulo Messina,boa tarde! a emenda 7 quando fala de servente está incluida tambe´m na emnda 4 da carga horária de 40 horas para trinta horas?

    • Paulo Messina terça-feira, 14 outubro 2014, 11:09 AM às 11:09 AM

      Olá Denise. A intenção é propor a inclusão das categorias de Copeira e Servente nas mesmas ações, em Projeto de Lei específico. #assessoriamessina

  9. Ana Cláudia segunda-feira, 13 outubro 2014, 7:32 PM às 7:32 PM

    As readaptadas também vão exercer esta nova função e quantas merendeiras serão por Escola.

    • Nanceli Lopes Barboza terça-feira, 14 outubro 2014, 7:20 PM às 7:20 PM

      Estou aguardando resposta sobre minha pergunta e meu comentario dos descontos do decreto 1742 o que devo fazer contratar um advogado ou ir ao ministerio publico

      • Paulo Messina quarta-feira, 15 outubro 2014, 11:54 AM às 11:54 AM

        Olá, Nanceli. Por favor, entre em contato com o gabinete pelos números de telefone: 3814-2981/3814-2385/3814-2497 para que possamos conversar diretamente sobre a sua situação. #assessoriamessina

  10. Sandra de Oliveira Lima sábado, 18 outubro 2014, 10:32 AM às 10:32 AM

    Sou merendeira readaptada por problema ortopédico e queria saber se teremos os mesmos direitos na questão das emendas. Tô fazendo 22 ano de Município e já mudei de escola 4 vezes. Estamos cansadas de sofrer discriminação, agora virei porteira , pois tiraram as porteiras das escolas e ainda fui chamada de zero à esquerda por não poder ficar mais na cozinha. Trabalho das 7 às 3 horas, sou inorada e largada numa mesa do lado de fora da escola. Tenho curso superior que não me adiantou de nada. Tô cansada de lutar tanto, mas continuarei lutando com a força de Deus. Ajude-nos.

    • Paulo Messina segunda-feira, 27 outubro 2014, 5:27 PM às 5:27 PM

      Olá Sandra, o PL das merendeiras está sendo movimentado para aprovação e, definitivamente, trará novas perspectivas para o servidor readaptado. Ler relatos como o seu, Sandra, faz ainda mais urgente que essas mudanças aconteçam. Lamentável. Se puder, entre em contato conosco pelos números de telefone: 3814-2981/-2497/-2385. #assessoriamessina.

  11. Sandra de Oliveira Lima sábado, 18 outubro 2014, 10:38 AM às 10:38 AM

    Desculpe, além dos problemas ortopédicos, temo a pressão psicológica, que m acarretou uma síndrome do pânico. Tenho lesões na coluna e compressão. nós só queremos que alguém nos ajude, pois não adianta mudar de escola, pois é tudo a mesma coisa.

  12. Ivanilda Conceição de Carvalho Pereira domingo, 19 outubro 2014, 10:28 AM às 10:28 AM

    Ivanilda, gostaria de saber quando vai sair a salubridade

  13. Lucia Helena Teixeira da Silva domingo, 19 outubro 2014, 8:29 PM às 8:29 PM

    Eu saí da escola em qu[e eu trabalhava em 2011 para entrar a APA; fui para uma creche. Fiquei 3 anos; fui para outra escola; fiquei 4dias entrou à firma. fiquei no refeitorio4 meses. Agora fui trasferida para uma escola longe de casa. tenho que pegar 2 onibus para ir e 2 para voltar. Não entendo viramos joquete. Aonde precisar temos que ir. Não pedi para sair da escola. Sou da 9ª CRE. tem alguma solução ?

    • Paulo Messina segunda-feira, 27 outubro 2014, 5:09 PM às 5:09 PM

      Olá Lúcia Helena, seguimos intermediando muitos casos de remanejamento envolvendo, principalmente as merendeiras, em busca do diálogo na relação entre o servidor municipal que se encontra lotado nas escolas e a CRE/SME, em reconhecimento às necessidades da rede pública, digo alunos, e condições próprias do servidor. Cada caso é um caso e merece ser atendido nas suas particularidades. Estamos movimentando o PL das merendeiras, futuras Agentes de Alimentação Escolar, o que nos traz boas perspectivas para a categoria. Caso você deseje falar conosco, ligue para o nosso gabinete, pelos números de telefone: 3814-2981/-2385/-2497.

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: