Remanejamento: Novas Diretrizes para alocação dos Servidores da Educação?

Pessoal,

Durante este último mês, muitos servidores da educação têm entrado em contato conosco por conta do possível remanejamento que sofreriam em virtude do processo de ampliação da rede para 40 horas em muitas unidades. Nesta terça, no entanto, após a divulgação da Circular E/SUBG/CRH No03/2015 da SME, que versa sobre as diretrizes a serem adotadas para a melhor alocação dos professores nas unidades escolares do Município do Rio, o número de mensagens que chegou até nós simplesmente triplicou.

humanresourcesmanagement

Tendo sempre em mente que o foco de toda organização deve ser o aluno, entendemos a necessidade de se otimizar a distribuição das cargas horárias dos servidores da rede, mas defendemos que tudo isso deve se dar dentro de um processo humanizado, levando-se em consideração a vida funcional – e a VIDA – dos funcionários.

Uma das principais razões para a restruturação é que, segundo a SME, o PEF 40h/PII 40h não concorda em assumir regência em unidades de turno parcial, uma vez que para isso precisaria complementar a carga horária com uma segunda turma (pegar 2 turmas). E como nem todos estão lotados em turmas de turno único (7 horas), muitos ficam 3,5h por dia sem regência, o que gera um desperdício de recursos humanos. A desculpa é que nessas 3,5h fazem reforço escolar. Vamos falar a verdade? Não acontece na maior parte dos casos.

Com a entrada do PEF 40h, tornou-se necessário pela SME mexer com o PII, categoria em maioria na rede, o que acaba impactando consequentemente também na vida de grande parte dos demais servidores.

Vamos compilar as principais considerações que recebemos dos educadores e levaremos à SME para expor a nossa posição e propor uma nova abordagem. De antemão, posso adiantar que: (1) discordo do item que impede que o PEI assuma a função de Professor Articulador (PA), pois os mesmos são preparados, sim, para exercer tal atividade dentro das creches e EDIs; (2) vamos solicitar que a circular defina de forma mais clara qual modalidade da Educação Infantil que se refere os textos, por exemplo, dos itens D e E; (3) vamos reiterar que todos devem cumprir a mesma carga horária em sala de aula, diferente do que está previsto na circular, mais especificamente no que diz respeito aos PEF/anos finais; (4) faltam diretrizes a respeito da execução do ⅓ de planejamento dos professores.

Buscaremos uma reunião emergencial com a SME para abordarmos os pontos. Sim, é importante racionalizar os recursos humanos. Mas, como o próprio nome diz, são humanos. Como conciliar o desafio que o RH da SME tem nas mãos, de organizar financeiramente, e ao mesmo tempo respeitar os PII 22,5 que têm esse direito? Esse é o desafio que precisamos enfrentar nos próximos dias.

Abraços,
Paulo Messina

5 pensamentos sobre “Remanejamento: Novas Diretrizes para alocação dos Servidores da Educação?

  1. Maria Da Penha Conceiçao terça-feira, 17 novembro 2015, 7:46 PM às 7:46 PM

    Os AEIs que serão remanejados em detrimento dos contratados? O que pode ser feito?

  2. Esther Figueiredo terça-feira, 17 novembro 2015, 8:03 PM às 8:03 PM

    Na minha escola o reforço escolar acontece e muito bem com os professores de duas matrículas, não acho justo querer tirar o PII de 22.50 como eu que já trabalha no CIEP há 19 anos e perto de casa e por ter entrado em remoção em 1995. Tenho 53 anos e acredito que não aguentaria ir para uma escola longe já que perto da minha residência todas as escolas sofrerão mudanças e não acho lugar prá mim. Por que não fomos migradas já que trabalhamos em um CIEP (Almir B. de Andrade – Valqueire), seria ótimo e tudo estaria dentro dos conformes.Nossa escola é alegre e unida, trabalhamos com alegria e amor, nosso grupo antigo é maravilhoso, amamos a direção e tudo isso vai acabar. Não é certo mexer com a vida da gente e dos pais que vão perder o horário até 16:30.Nossos pais precisam do horário integral. o que a Prefeitura vai fazer só favorece la mesma. Vou perder minha D.R. e sinceramente não sei o que fazer. Imagino quantos professores nessa situação. Tenho certeza que tudo isso não dará em nada, o número de 40h é insuficiente e vão acabar abrindo novamente para o PII, só que aí já perdemos nossa origem, sem falar o turno na escola. Desrespeito total, tristeza sem fim.
    Esther

  3. Ilda Pêsames terça-feira, 17 novembro 2015, 8:10 PM às 8:10 PM

    São muitas situações dentro da rede. A SME necessita racionalizar o pessoal, mas lida com pessoas, há de se respeitar as peculiaridades e necessidades de cada um.

    Enviado do meu iPhone

    >

  4. Ana Paula Lima Tavares Castro terça-feira, 17 novembro 2015, 8:56 PM às 8:56 PM

    Acho que foi esquecido mais uma vez os PEIs de 22,5 como detentor também de direitos!!!

  5. Ana Maria Simões de Paiva sábado, 5 dezembro 2015, 11:26 PM às 11:26 PM

    Lamentável a migração de PII, PI ou PEI que faz dupla, não estar sendo cumprida prioritariamente. Aí vem o “remanejamento” abortar o fio de esperança que ainda restava. Será que somos tão inocentes assim ? A única regra que foi respeitada à risca na migração foi a que não podia ter mais de vinte faltas, MESMO QUE FOSSE JUSTIFICADA POR MOTIVO DE DOENÇA GRAVE, CIRURGIA, INTERNAÇÃO, MORTE DO PRÓPRIO OU DE FAMILIAR. Desnecessária e lamentável,..

Os comentários estão desativados.

%d blogueiros gostam disto: